Final feliz

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Marcela Ibelli

Em meio a tantas notícias ruins por causa da interminável pandemia do novo coronavírus – inclusive com casos de pets que estão ficando órfãos quando seus donos não resistem à doença – chega a ser emocionante poder contar uma história como a que aconteceu na região na última semana. 

Era uma noite chuvosa na Estrada dos Fernandes, em Ribeirão Pires, quando equipe de patrulhamento avistou um filhote correndo sozinho, assustado. “Estávamos em local distante de moradias, o tempo tinha virado, então estava bastante frio. Quando vimos o cachorro imediatamente descemos da viatura. Ele correu para o mato e o resgatamos, foi quando ouvimos o choro de outro e o pegamos também. Eles estavam abandonados junto com a mãe, que não resistiu”, conta a tenente Bruna Marques.

Os parceiros de patrulha, os cabos Bruno Reis e Marcus Barone, também ficaram sensibilizados. “Tivemos até que parar um ônibus para salvá-los. Levamos os filhotes para o batalhão (o 30º), onde cuidamos, limpamos, aquecemos e alimentamos.  Eles  estavam com cortes superficiais nos focinhos”, explica Reis. Na sequência, complementa Bruna, entraram em contato com ONGs para ajudar na adoção dos irmãozinhos. “Várias pessoas apareceram, mas uma família quis levar os dois juntos. Tenho certeza que vão ser bem cuidados, era possível ver a alegria nos olhos das crianças”, ressalta a tenente.

Rogério e Edneia Motta, de Mauá, ficaram satisfeitos ao poder adotar os filhotes resgatados. Agora  Nike e Maxi, os nomes que ganharam da família, vão poder brincar com os quatro filhos do casal: Sara, 13, Miguel, 10, Gabryele, 8, e Abner, 6. “Vimos a postagem da adoção nas redes sociais e as crianças ficaram encantadas. Para mim, os filhotes são como meus próprios filhos. Agradeço muito o salvamento”, comenta Rogério.

“Fiquei muito feliz por ter tido a chance de salvar aqueles inocentes. O papel da polícia é  servir e proteger a todos. Claro que o trabalho em equipe e com a sociedade é fundamental”, comemora o cabo Reis. A tenente Bruna ressalta ainda que a Polícia Militar é uma instituição comprometida com a vida. “As pessoas gostam de ver somente a farda, mas por baixo de nossas vestes tem seres  humanos. Quando eu digo que a polícia é comprometida com a vida, interpreto com qualquer ser vivo. Nossa instituição realiza salvamentos todos os dias.”

Linda história, não é? Não abandone os animais e, se quiser ter um, adote.

 

 



Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2021. Todos os direitos reservados