Do limão a limonada

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanda Moura

Plataforma ajuda empreendedores a divulgarem novos produtos durante a pandemia
 
Sem nenhum aviso prévio o mundo virou de ponta-cabeça e há mais de 90 dias teve quem se viu encurralado. Muita gente precisou se reinventar para sobreviver. Além da crise de saúde provocada pelo novo coronavírus, que no fim de junho alcançou a marca de mais de 10 milhões de infectados e 500 mil mortos no mundo, a economia também sofreu um impacto sem precedentes, afetando principalmente pequenos negócios, profissionais autônomos e informais.
 
Mas se tem uma coisa que brasileiro tem de sobra, e isso ninguém pode negar, é jogo de cintura. E no meio de todo o caos, empresas que já tinham em seu DNA ideias inovadoras a fim de facilitar o dia a dia de seus clientes e parceiros, ganharam ainda maior visibilidade, assim como é o caso da plataforma Tesouros do Bairro (www.tesourosdobairro.com.br), tecnologia social idealizada pela Lellolab.
 
De forma gratuita e sem fins lucrativos, o grupo nasceu em 2018 com objetivo principal de conectar pessoas e reforçar os laços da vizinhança. Com ele é possível divulgar os serviços oferecidos por empreendedores locais e pequenos produtores e conectá-los a potenciais consumidores.
 
A plataforma é gratuita, sem fins lucrativos e abrange todo o País. De acordo com Camila Conti, gestora de projetos da Lellolab, até o início de 2020 a plataforma tinha cerca de 50 pessoas cadastradas, mas com a quarentena houve um aumento inesperado, e as inscrições saltaram para cerca de 700 em todo território nacional. “Ganhou um volume repentino. Mas a pandemia escancarou o que a gente já sabia”, afirmou Camila.
 
 
A gestora explica ainda que não é possível mensurar o volume de negócios que foram fechados e qual retorno financeiro os prestadores de serviço tiveram no período, uma vez que o objetivo principal da plataforma não é ser transacional, e sim de conexão entre pessoas.  
 
Tanto para quem deseja descobrir o que há de melhor na região onde está quanto para quem quer divulgar os produtos que oferece, basta entrar no site e realizar o cadastro de forma gratuita. “O trabalho da Lellolab é pensar no momento em que a gente vive de olho no futuro da vida em comum. Comprar do micro e pequeno negócio é um caminho que não pode parar”, finalizou.
 
Cruzando caminhos
 
De uma hora para outra, Caroline Ribas, 36 anos, moradora de São Caetano, do Carol na Cozinha (@carolnacozinha, nas redes sociais), que nasceu em 2016 durante a licença-maternidade da filha de 4 anos, viu todos os eventos da agenda serem cancelados com o início do distanciamento físico por causa da pandemia.
 
 
Até março sua agenda era preenchida por eventos diversos, como coffeebreaks de empresas, serviços de bufê para festas, cooking day – quando ela passa o dia na casa do cliente cozinhando, separando porções e congelando refeições –, e aulas de gastronomia presenciais.
 
Com tudo cancelado e o aluguel do ponto comercial, na Vila Mariana, local que ela divide com outras duas sócias, ela se viu obrigada a pensar rápido para não deixar a peteca cair e o negócio continuar sendo rentável.
 
Mas se reinvenção é a palavra de ordem para os empreendedores em meio à crise que se instaurou, Caroline provou que habilidade para isso não lhe falta. De bate e pronto deu início a entrega de marmitas com refeições por delivery.
 
Recém-chegada ao bairro, uma vez que o ponto comercial foi alugado em dezembro, e sem ter tido tempo para que a vizinhança conhecesse os serviços oferecidos, a plataforma Tesouros do Bairro foi fundamental para conectá-la aos consumidores locais. E deu certo. “Chegamos a trabalhar 16 horas por dia e trabalhar com delivery é muito diferente de eventos”, conta.
 
Foi então que, com a proximidade do Dia das Mães, teve a ideia, junto com as sócias, de criar cestas de presente com produtos artesanais como geleias, pães de fermentação natural, bolos, doces, entre outros. “E deu muito certo. Em três horas tivemos mais de 120 pedidos. Foi um sucesso”, garante.
 
A decisão de seguir com as cestas e deixar de lado o delivery foi natural. Além disso, Caroline e as sociais também aproveitaram o gancho das festas sazonais, como a junina, para oferecer comidas típicas na caixa para happy hours virtuais e festas em casas. “Nosso diferencial é que nós fazemos tudo de forma artesanal. Eu e minhas sócias de ponto comercial acabamos juntando o melhor das duas empresas, criamos uma identidade visual superfofa e estamos indo muito bem, mesmo tendo mudado o negócio duas vezes desde que a pandemia começou", acrescentou.
 
Assim como Caroline, a publicitária com MBA em marketing Alessandra Mazucato, 38 anos, de São Paulo, viu no empreendedorismo uma oportunidade de passar mais tempo em casa com o filho e muito antes da pandemia já era empreendedora. Após trabalhar 15 anos em uma instituição de ensino superior na área de comunicação, a decisão por empreender surgiu em 2016, quando decidiu abrir o Estúdio Regali (@estudioregali nas redes sociais), empresa de papelaria criativa para decorações de festas.
 
Alessandra oferece aos clientes diversos produtos, desde a criação até a produção de topos de bolo, enfeites para docinhos, adesivos, bandeirinhas, quadros para porta de maternidade, kits para comemoração de ‘mesversário’ de bebês, tudo feito com papel. “O trabalho é artesanal e personalizado desde tema, cores e detalhes, que são definidos em conjunto com os clientes”, explica.
 
E, apesar da crise, a publicitária explica que o isolamento tem sido positivo para seu negócio, tanto que ela aproveitou para ampliar seus canais de venda com a criação de um e-commerce próprio e campanhas nas redes sociais. “Esse momento mostrou que há muitas possibilidades no comércio on-line, além disso, trabalhar de casa me permite viver momentos valiosos junto ao meu filho e acompanhar de perto o crescimento dele, oportunidades que antes eu não tinha”, acrescentou.
 
Também inscrita no Tesouros do Bairro, uma das plataformas que ela utiliza para divulgar seus produtos, Alessandra acrescentou que são movimentos como este, que reúnem e valorizam empreendedores, que fazem toda diferença. “Esse tipo de iniciativa apresenta meu trabalho para pessoas que não o conhecem e que estão perto de mim. Essa aproximação é valiosa, gera confiança e permite novas vendas”, finalizou. Sempre há luz onde muitos só veem escuridão.
 



Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2020. Todos os direitos reservados