Restrição alimentar

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Alessandra Nunes

A quarentena imposta pela grave pandemia que estamos vivendo impactou nossa rotina e provocou mudanças significativas na nossa vida, principalmente na alimentação.
O confinamento gera alterações importantes de ordem psicológica e é comum recorrermos aos alimentos (e muitas vezes às bebidas) para diminuir o estresse.
Cuidar da alimentação é fundamental para proteger o organismo de doenças oportunistas. Comer mal, usar bebidas alcoólicas, dormir pouco e nutrir maus pensamentos são ações que podem reduzir a imunidade.


Outro fator que começa a chamar a atenção é que, em virtude do fechamento das academias e com a alteração do consumo alimentar, muitas pessoas estão ganhando peso nesta quarentena, e começam, erroneamente, a restringir grupos de alimentos na tentativa de reduzir o peso.
Veja bem, não quero com este texto induzir ninguém a comer demais, no entanto, o que mais importa para nós, especialistas, neste momento, é que ao final deste período, todos estejamos saudáveis. Ou seja, preocupa-nos muito mais manter o sistema imunológico ativo do que pensar na questão do ganho de peso. Então, o momento pede equilíbrio e não restrição!


O mais temido e condenado é sempre o pobre carboidrato, porque, ao ver o ponteiro da balança subir, vemos o pão, o arroz, a batata, o milho e outros carboidratos sumirem do cardápio. Os mais radicais chegam a reduzir até mesmo as frutas. Erro grave!
Dietas com restrição de carboidratos, grupo alimentar que fornece fibras tão importantes, pode prejudicar as bactérias benéficas da flora intestinal e comprometer o sistema imunológico.


A sugestão é para que ao invés de restrição, pensemos nas trocas. Deixar de consumir alimentos refinados e ultraprocessados que são feitos com farinhas refinadas, como a de trigo, cuja digestão é muito rápida e aumenta rapidamente os picos de fome; e incluir os carboidratos complexos, feitos com farinhas integrais, farinhas de arroz, fécula de batata, polvilhos, aumentam o poder de saciedade, fornecem fibras e mantêm integro o sistema imunológico.


Quanto ao consumo de frutas, elas são nossas grandes fontes de vitaminas e minerais. As versões mais ácidas são ricas em vitamina C, que por si só já ajuda e muito a fortalecer a imunidade.


Seja responsável consigo mesmo. A vida está nos dando uma chance de repensarmos nossa rotina e isso inclui a amorosidade ao ato de se alimentar. Permitir o prazer de comer o que se gosta faz parte dos bons momentos da vida, mas quando o prazer vira episódios rotineiros de descontrole é importante buscar ajuda.

 




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2020. Todos os direitos reservados