Ximbinha: 'Mais uma vez estão tentando me envolver em violência contra a mulher'

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Estadão

O músico Ximbinha, conhecido por ter integrado a dupla Calypso ao lado de sua ex-esposa, Joelma, se pronunciou nesta quinta-feira, 16, após ter sido acusado de agredir Clara Maués, ex-cantora de sua banda, o Cabaré do Brega.

"Estou aqui para esclarecer. Mais uma vez estão tentando me envolver em violência contra a mulher. Isso está ficando até chato", afirmou, em vídeo divulgado pela sua assessoria de imprensa.

Ximbinha relata que Carla "chegou no estúdio muito alterada", chegando a dar um "chute na porta".

"Em nenhum momento eu agredi Carla com palavras e menos ainda com violência, nunca. Em nenhum momento falei alguma coisa denegrindo a imagem dela na frente da filha. A filha dela não estava no estúdio", garante o guitarrista.

Segundo comunicado, o fato teria ocorrido em 11 de dezembro de 2019, e "depois da situação, Carla e Ximbinha ainda fizeram dez shows juntos e o clima sempre era de tranquilidade."

"Ximbinha ressalta que a cena de descontrole de Carla Maués foi testemunhada por quatro músicos, que serão arrolados como testemunhas no processo que ele vai mover contra Carla Maués e o cantor aposentado Wladimir Costa", prossegue.

A denúncia de agressão, em um primeiro momento, foi feita por Wladimir Costa, cantor paraense da Banda Wlad e ex-deputado federal, em vídeo publicado em seu Facebook na noite de terça-feira, 14. Wlad Costa, como é conhecido, ganhou notoriedade nacional após ostentar uma tatuagem com o nome de Michel Temer, então presidente, em 2017.

Posteriormente, Carla Maués enviou um vídeo para o Balanço Geral, da Record TV, que foi exibido na quarta-feira, 15.

"Eu havia deixado a Clarinha filha no sofá atrás de mim, e estava de pé, conversando com ele Ximbinha. Esse homem começou a gritar, me expulsar, escurraçar, como se eu fosse um lixo. Com os piores palavrões que vocês podem imaginar, aos berros", afirmou.

Na sequência, prosseguiu: "Eu fiquei em estado de choque, mas, quando ele veio para cima de mim, o meu instinto foi procurar a minha filha. Quando olhei para trás, minha filha estava paralisada, com o olhinho assustado olhando para aquela cena".

"Ainda tive a presença de espírito de dizer para o meu amigo Edilson Moreno, ''tire a minha filha daqui''. O Edilson imediatamente pegou a Clarinha e levou para a rua. Daí se seguiram gritarias e agressões verbais. Horrível", concluiu.

Em outro vídeo divulgado pela assessoria de Ximbinha, Edilson Moreno relata que Carla Maués teria chegado alterada ao estúdio, e após reclamar de ter sido chamada em cima da hora, Ximbinha teria dito para ela ir embora.

No momento seguinte, ela afirmou que iria conversar com Ximbinha e pediu para que Edilson tirasse a filha de Clara do local. "Em nenhum momento a criança viu ou ouviu nada", afirma o músico.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2020. Todos os direitos reservados