Tendência da beleza

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Tauana Marin

Serviços específicos, como depilação, esmalteria e desing de sobrancelhas, movimentam agitado comércio ligado a cuidados pessoais.
 
 
 
Se antes as mulheres marcavam horário nos salões de beleza e ficavam por lá por horas e horas até realizarem   todos os serviços, hoje a realidade é um pouco diferente. Ainda há muitas opções no Grande ABC que reúnem vasta gama de serviços em único lugar, mas o que se nota é que, há algum tempo, existe tendência de recintos específicos para cada tipo de cuidado. Salões que só fazem depilação, outros montados para coloração capilar, locais especializados em esmaltar as unhas ou aposta no design de sobrancelhas fazem parte do cardápio de opções.
 
Locais específicos trazem certa especialização no serviço, o que tem agradado à clientela. Milessa Stela, 39 anos, entrou nesse mercado há 15 anos. A franqueada da Depyl Action, loja especializada em depilação, se uniu à mãe, Valdete Stela, para abrir a primeira unidade em São Caetano e a segunda, há nove anos, em Santo André. “Minha mãe conheceu a Depyl Action em feira de franquias e nós nos identificamos com a proposta da marca. Por ser um serviço especializado, sem hora marcada, ficamos empolgadas em conhecer a operação. Quando visitamos uma unidade no Rio de Janeiro tivemos a certeza de que era o ramo que gostaríamos de investir”, explica. Segundo Milessa, o setor de serviços figura entre os mais promissores na economia do País, “tanto que, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia, foi o setor que mais gerou empregos em 2019. O segmento de saúde, beleza e bem-estar dentro do franchising cresceu 8,1% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado.” Milessa conta que o serviço de depilação representava uma pequena parte do faturamento dos salões de beleza e, geralmente, ficava escondido nos fundos. Para se ter ideia do sucesso da marca hoje, a Depyl Action tem 112 unidades espalhadas pelo Brasil e no Exterior. “Por mês, a rede atende, em média, 150 mil clientes, com crescimento de 8%, em média, por temporada.”
 
O serviço também tem conquistado o público masculino. Por mês, cerca de 6.000 homens visitam as unidades, representando cerca de 4%, em média, do movimento global da franquia. Os preços variam. A região da virilha, por exemplo, custa R$ 30. Além de depilação com cera morna, a rede oferece depilação por luz pulsada, design de sobrancelhas, alongamento de cílios, aparo de pelos e coloração de cílios, da região íntima e de barba. "A grande vantagem é que você tem a certeza de estar sendo cuidado por especialistas. Nossos atendentes prestam uma consultoria em cuidados com o pelo e oferecem ao cliente aquilo que é melhor para ele, identificando, inclusive, qual a técnica mais recomendada para a depilação. Isso permite um atendimento personalizado e eficiente. Destaco ainda que, por sermos referência em depilação e cuidados com o pelo, nossos colaboradores passam por treinamento constante", conclui Milessa.
 
Erika Martinez, 39 anos, depois de se formar em arquitetura, em comunicação e cursar três anos de psicologia, encontrou no setor de beleza o grande sentido para a realização profissional e pessoal, entre 2015 e 2016. “Sempre gostei de entender e analisar pessoas. Acho que tenho algo dentro de mim relacionado à percepção. Entrei na área estética e de dermopigmentação meio que sem querer, apesar de sempre gostar de maquiagem, moda, beleza e senso estético." 
 
Hoje, com o empresa Espelho Meu by Erika Martinez, em São Caetano, ela faz dermopigmentação facial (corretiva e estética), dermopigmentação de sobrancelhas fio a fio 4D realistas e técnica conhecida como Shadowline, esta última dando a impressão de fios com desenho especial e efeito de sombra. “Viso em meu trabalho ver os rostos das clientes como quadros e molduras onde preciso harmonizar o conjunto para que ela tenha uma melhor simetria facial e equilíbrio para se apresentar ao mundo. Pego pontos fortes e outros nem tantos da cliente e ressalto, valorizo”, analisa. Os serviços custam, em média, entre R$ 600 e R$ 1.000.
  
Para ela, o sucesso de oferecer um serviço diferenciado é justamente não oferecer algo generalista. “Esse é o grande diferencial. É o que, em minha opinião, leva profissionais a saírem de salões ou ganharem espaços próprios, serem especialistas, que, por si só, já ganha destaque devido aos seus conhecimentos extensos em um nicho de atuação. As respostas e soluções dadas por um especialista quando precisa resolver um problema são muito mais precisas, o que faz dele uma referência na área. A dermopigmentação, apesar de parecer simples, exige conhecimentos que vão desde dermatologia e biologia humana, tipos de pele e reações, cicatrização, colorimetria aplicada entre diversos fatores que levam a uma confiança maior na escolha de um profissional”, explica Erika.
 
A ascensão de salões especializados em diferentes serviços se deve à exigência do consumidor. Para o coordenador jurídico do Sindbel (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Serviços de Embelezamento e Higiene sem Direção Médica no Grande ABC), Guilherme Simão, o cliente busca no embelezamento a especificidade, ou seja, “exige um profissional mais qualificado, que utilize produtos que atendem seus anseios tanto de saúde, quanto ambientalmente sustentável, redundando num efetivo tratamento”. Ele comenta ainda que parte considerável dos interessados sabe diferenciar o profissional que inicia o atendimento com anamnese (espécie de entrevista para verificar detalhes da vida da pessoa e suas ideias sobre o serviço). “Neste ponto, vale destacar o público masculino, em especial nas barber shops, unhas e sobrancelhas.” No universo feminino, ele cita a preocupação com cabelos cacheados e suas diversas formas de tratamento, com o público infantil estimulando estabelecimentos a apostarem em áreas com atmosfera lúdica e com atrações digitais para fidelizar os pequenos.
 
Esse fenômeno mercadológico ganha corpo no Grande ABC na necessidade de renomados profissionais se reinventarem ante a chegada de novas marcas e franquias a partir de 2004. “Há uma mudança de comportamento do consumidor, que no mundo globalizado é constante, em especial na preocupação de preservação ambiental e biossegurança”, explica. Apesar da percepção sobre a agitação em torno do mercado, não há dados regionais sobre o quanto esse nicho de mercado movimenta. Segundo Simão, o termômetro para avaliação é muito variado, uma vez que o trabalho com registro em carteira está em queda e atualmente beira a casa de 12% (entre eles, responsáveis pela recepção, auxiliares, manicures e esteticistas). “Apesar do MEI (Microempreendedor Individual) na região atingir mais de 135 mil inscritos, o segmento da beleza informal supera o índice oficial com tendência de aumento conforme estímulos legais, como o do ‘Liberdade Econômica’, que, no ramo de embelezamento, tem que se considerar o aspecto de higiene e saúde. Por isso estamos dialogando com as câmaras municipais para termos leis específicas com o intuito de proteger os consumidores de contaminações cruzadas, por exemplo, bem como valorar o profissional dedicado sujeito a todo o tipo de fiscalização.”
 
Vale destacar também o fato de existir concorrência entre as lojas ao comercializarem produtos, que ainda movimenta área na qual esses espaços de beleza disponibilizam pessoa para aplicar o item comprado. “Também existe a venda de cursos de serviços de embelezamento, onde a certificação é acompanhada de produtos no valor pago pelo curso. Tais situações dificultam, e muito,   ter uma avaliação correta de quanto o Grande ABC movimenta pelos serviços de embelezamento, haja vista as vendas casadas de produtos e serviços.” Ainda segundo o coordenador do Sindbel, em termos estatísticos gerais, nos procedimentos de serviços de embelezamento, há um crescimento anual de mais de 30%, entretanto, “destaque-se que a durabilidade comercial dos salões está nos shoppings centers, franquias e aqueles que conseguiram há tempos clientela fiel, vez que ainda o nome e a qualidade do profissional são muito bem avaliados pelos consumidores”.
 
Juliana de Oliveira Cunha, 29 anos, entrou no setor de beleza especializada em janeiro de 2017. “Antes de termos a Sorella Esmalteria, trabalhava em um escritório de advocacia. Sou formada em direito desde 2015. Meu irmão mais velho, que hoje é meu sócio, foi quem teve a ideia de termos uma empresa no ramo da beleza, acreditando que seria uma área de muito lucro.” De acordo com a empresária, o setor traz prosperidade para quem investe nele por conta da atual vida que as pessoas levam. “Apesar da vida corrida, as mulheres não abrem mão de cuidar da beleza, até mesmo em tempos de crise econômica. Hoje elas buscam cada vez mais a independência financeira e com isso vem o poder de compra. Com a correria do trabalho, elas procuram um espaço que atenda de maneira rápida, com bastante conforto e serviço impecável, além dos mimos que sempre oferecemos.”
 
No início, ela e o irmão tiveram dificuldade em emplacar o negócio, por acreditarem que a esmalteria atenderia apenas as moradoras do condomínio vizinho ao local. “Aos poucos, com estratégia de marketing, nossa cartela de clientes foi crescendo. Hoje temos uma lista de 350 clientes cadastradas.” O serviço de manicure diferenciada é feito por R$ 130. Há serviços específicos como alongamentos de unhas, spa para os pés e para as mãos, esfoliação com sais e escolha de esmaltes em spray para quem tem muita pressa. Quem tiver em dúvida, pode passar um tempo no bar montado no local. As opções ficam esperando os clientes e a missão do público é saber o que quer fazer.
 
 
 

 




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2020. Todos os direitos reservados