Malasartes com efeitos especiais

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Karine Manchini

 Conhecido no folclore ibero-americano pelo jeitinho esperto de trapacear e enganar pessoas com sua inteligência, Pedro Malasartes ganha nova aventura em Malasartes e o Duelo com a Morte. O longa, que começou a ser filmado em 2015. Na época, a equipe de reportagem do Diário acompanhou um dia de gravações em Jaguariúna e Cotia. Criado pelo roteirista Paulo Morelli, a obra estreia em uma semana, no dia 10.

No papel principal, Jesuíta Barbosa dá show de interpretação. O ator encarna o personagem de corpo e alma, e consegue transparecer no olhar seus medos e alegrias.“Esse filme foi importante para todos, especialmente para mim. Quando Paulo fez o convite tinha na cabeça que Malasartes era um caipira do Sudeste. Fiquei preocupado por não ter essa raiz. Depois comecei a entender que era uma mistura do Brasil”, contou durante coletiva ontem, após exibição do filme.

Apaixonado por Aurea (Isis Valverde), tem como seu maior inimigo o irmão da amada, Próspero (Milhem Cortaz). Essa inimizade tem como motivo dívida que Malasartes fez com o rapaz. A única esperança que encontra para pagar a quantia é fazer com que seu misterioso padrinho (Julio Andrade) lhe presenteie com algo valioso no seu aniversário de 21 anos. Mas o que ele não imagina é que o padrinho é, na verdade, a Morte, que está atrás de Malasartes com interesses maldosos. O desenrolar da história é interessante e prende o espectador, que quer saber como o sacana vai arrumar dinheiro para pagar a pendência e se safar das confusões que se meteu com a Morte.

O filme traz muitos momentos engraçados, inclusive a interação entre Esculápio e Cortadeira, interpretados por Leandro Hassun e Vera Holtz. Já Isis Valverde representa com doçura sua personagem, que é completamente apaixonada por Malasartes e vive perdoando o malandro pelas encrencas em que se envolve. “Foi experiência incrível trabalhar com Jesuíta. Paulo veio com as histórias de Malasartes e lembrei das histórias que minha mãe me contava quando eu era criança. Na hora eu topei”, explica a atriz.

Além de trazer grande elenco, a produção mostra contraste entre dois mundos completamente diferentes: o da magia, que é retratado com firmeza pelos diversos efeitos visuais, raros nas produções brasileiras, e o da vida real, em cidade pequena do Interior.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados