Paranapiacaba é a protagonista

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Miriam Gimenes

 Todo mundo que inicia a carreira como coadjuvante quer alcançar um dia o papel de protagonista. E eis que chegou a vez da vila de Paranapiacaba. É que a partir de amanhã, ela não só será ‘o palco’ para a 17ª edição do Festival de Inverno, como sairá à frente e ganhará todos os holofotes. Pelo menos este é o mote da organização do evento, a ser realizado neste fim de semana e no próximo.

“O foco deixa de ser o artista e passa a ser a vila. A maior atração, o maior palco, é ela. Por isso, montamos uma programação bem diversificada, que vai conversar com o patrimônio. Se o evento se caracterizou nos últimos anos por ser um festival musical, agora temos também teatro, dança, circo, artes visuais e ações de memória”, disse o diretor de projetos especiais e planejamento da Secretaria de Cultura, Marco Moretto, durante passeio ontem de manhã pelo local na companhia da equipe de reportagem do Diário.

É uma mudança de conceito. “Nos últimos anos tínhamos, no máximo, 50 atrações e nesta edição, até a última contagem que fiz, só de intervenções são mais de 190. Destas 100 são atrações”, acrescenta. “Nós criamos uma programação que começa cedo, às 10h e termina às 18h. É para as pessoas circularem aqui por horas e terem um dia agradável”, acrescenta o diretor de Paranapiacaba, Eric Lamarca.

Para tanto, foram feitas não só mudanças estruturais na vila – como reforma da praça de alimentação na antiga oficina ferroviária, a inauguração da garagem ferroviária (plataforma de desembarque do Expresso Paranapiacaba), reforma na biblioteca, entre outras coisas –, como também parcerias para implementar a programação.

Uma delas foi com o Sesc Santo André, que fará ações no Clube União Lyra Serrano. As atrações vão desde shows, concertos, espetáculos teatrais, circenses e de dança a intervenções e oficinas que convidam o público a olhar e interagir. “O Lyra é pequeno, então teremos diversas atividades pockets, para que todos possam participar e finalizar o dia apreciando um show”, explica Moretto. Entre os destaques musicais, que começarão às 18h, terão clássicos do jazz, folk, soul e blues. Os ingressos são gratuitos e precisam ser retirados com uma hora de antecedência.

A diversificação da programação (que está no site www.santoandre.sp.gov.br/fip) impede também, acrescenta Lamarca, a ter trânsito em momentos de pico. “Quando tinham grandes shows, as pessoas tentavam vir e muitas desistiam no caminho. Quem conseguia, assistia, tomava uma cerveja e ia embora. E não é isso que queremos aqui. Desejamos que o turista vivencie Paranapiacaba e sua história”, diz o diretor.

Este ano, o estacionamento contará com 3.000 vagas, que custarão R$ 40 (carros), R$ 20 (motos), R$ 50 (vans) e R$ 150 (ônibus de turismo). Dá para chegar lá também de ônibus intermunicipal, que sai do Terminal Tersa, ao lado da estação Prefeito Prefeito Saladino da CPTM, ou da estação de Rio Grande da Serra da CPTM.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados