Livres intervenções

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vinícius Castelli

Não há dúvidas de que a arte nasceu para ser livre de barreiras. Agora, ela se mistura entre elementos de rua – para muitos ainda marginalizados – e outros, tão importantes quanto, como dos ateliês da vida. E foi dessa forma que quatro artistas da região expressaram suas diversas ideias por meio de intervenções realizadas em São Bernardo.

Tintas, cabeça livre, muito trabalho e espaço para criar. O resultado do projeto pode ser conferido agora ao longo de 15 pilares espalhados pelo Golden Square Shopping (Av. Kennedy, 700). A inauguração oficial acontece hoje, a partir das 19h.

Os trabalhos, juntos, misturam diversas linguagens com boas pitadas de arte de rua, grafite, grafismo e outras sugestões. As pinturas são assinadas pelo artista plástico de São Bernardo Betto Damasceno – que também cuidou da curadoria do projeto –, por Moises Martins Fogaça, Leonardo Lamonica Martins, o Nado, e por Vagner Beijo.

Tudo começou quando Damasceno procurou o espaço para saber da possibilidade de uma exposição e soube que o local tinha um projeto que previa a pintura de 15 colunas com arte. “Topei na hora e assumi a execução do projeto”, afirma.

Ele conta que, desde o início dos trabalhos, os quatro artistas estavam livres para criar como quisessem, sem qualquer direcionamento. Para ele, cada visitante deve usar sua imaginação e ‘viajar’ com os trabalhos. “Quando eu pinto a ‘viagem’ é minha. Mas há um pouco de abstrato, letras, figurativos”, explica. Os artistas trabalharam duro durante duas semanas para deixar tudo pronto para a inauguração. Cada um se responsabilizou por quatro pilares.

Para o curador, ter sua arte e a de seus companheiros em um local privado é algo positivo. “Uma das piores coisas é a falta de acesso do público aos eventos, exposições etc. Em um grande centro de compras, com um enorme fluxo de pessoas andando entre trabalhos artísticos, sem dúvidas atingirá um grupo muito eclético e antenado”, diz.

Thiago Braga, gerente de marketing do espaço, diz ser importante aproximar as artes plásticas de quem passa por lá e que a intervenção acontece em um momento em que a arte urbana está muito forte no mundo da moda, da beleza e da decoração. “A regra de agora é personalizar e dar mais cor ao cotidiano, algo que vem ganhando cada vez mais força com os grafites nos muros das cidades”, explica ele, que acredita ser também uma forma de que as pessoas prestigiem artistas locais. Damasceno lembra que qualquer trabalho é único, porém, não eterno. “(As obras) Estarão em exposição até quando o Golden quiser.”




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados