Anime Friends 2017 celebra cultura pop oriental

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Luís Felipe Soares <br> Do Diário do Grande ABC

Mangás, animês, música, cosplays e muitos fãs se reuniram no Anime Friends 2017. Considerado o maior evento
voltado ao universo da cultura pop oriental da América Latina, ele agitou a programação do Transamerica Expo
Center, em São Paulo, entre a última sexta-feira e domingo, com mais de 30 horas de atividades variadas espalhadas
pelo gigantesco local, que recebeu a festa pela primeira vez e a tornou maior do que nunca.

O pavilhão acabou tomado, principalmente, por fantasiados que prestavam homenagem a seus personagens
favoritos. Foi difícil caminhar de maneira tranquila sem que fosse necessário desviar de cosplayers ou grupo
fazendo pose para fotos. Entre versões de figuras encontradas em Naruto, Os Cavaleiros do Zodíaco, Bleach e
Sailor Moon, também era possível esbarrar em dezenas de Arlequinas (ganhando sobrevida devido ao filme
Esquadrão Suicida, no ano passado). A criatividade em se montar os trajes e a variedade de visitantes
criativos ainda acabam por ser os maiores chamarizes.

A agenda também abre espaço para os games. Sessões coletivas de Just Dance apresentaram coreografias variadas, jogos experimentais de realidade virtual motivaram curiosidade e houve filas para experimentar algumas
novidades, a exemplo do aguardado Dragon Ball FighterZ, cujo lançamento só irá ocorrer no primeiro semestre do
ano que vem, mas ainda sem data definida. Debates sobre a motivação de um cosplay, a paixão pelo RPG, os
bastidores do mundo da dublagem e conversas em torno do mercado de mangás no Brasil com representantes das
principais editoras do setor agitaram os palcos secundários.

Mas o grande diferencial do Anime Friends continua a ser o line-up de shows. As atrações principais vindas de
países como Japão e Coreia do Sul fazem da passagem pelo evento mais um ponto de sua tour mundial e os
brasileiros respondem como podem ao entusiasmo dos artistas. Cantores e bandas de pop-rock parecem atingir o
status de popstars no momento em que revelam no repertório canções que fazem parte de aberturas ou
encerramentos de séries como Samurai X, Naruto e a franquia Gundam. "Vocês são incríveis. Os brasileiros são
os melhores. Obrigado por tudo", disse o veterano Takanori Nishikawa, cujo projeto solo T.M. Revolution
encerrou as atividades do evento na noite de domingo.

EVOLUÇÃO

Muito se mudou desde o primeiro Anime Friends, ocorrido em julho de 2003. O público mais jovem que visita o
evento hoje pode não imaginar a evolução pela qual passou ao longo do tempo até atingir o atual estádio
grandioso e com importância relevante para a agenda cultural de São Paulo. Até mesmo o contato com o universo
pop oriental era complicado, com a internet ainda tomando forma no Brasil e sendo rara a visita de atores e
cantores internacionais.

"Lembro de ter ido na primeira edição, no Colégio Madre Cabrini (na Vila Mariana). Na época, a estrutura era
bem simples, mais focado nos fãs-clubes, salas de exibição e algumas lojas pequenas ou mesmo de gente que
produzia as coisas como hobbie. Neste ano vi um evento em pavilhão, com estandes muito maiores, bandas
internacionais e várias atrações diferentes", conta o públicitário André Ruiz de Rezende, 29 anos, de São
Bernardo, que esteve no local no domingo motivado pela nostalgia e para encontrar alguns artistas no palco
principal. "Acredito que ele é o maior e um dos únicos eventos focado em cultura pop japonesa que ainda se
mantém. A outra feita que frequento, a Comic-Con Experience, acontece em outra época do ano, então não gera
conflito."

Atualmente, é possível encontrar com facilidade lojas especializadas em produtos sobre esse universo pela
Capital, assistir infinidade de atrações orientais na televisão e no computador e acompanhar o lançamento
de diversos mangás nas bancas e livrarias. O Anime Friends talvez seja uma grande desculpa para encontrar e
fazer amigos tão apaixonados por certos temas quanto você. 




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados