Capital mundial da caricatura

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Luiz Carlos Fernandes

 Ir até Caldas da Rainha é realmente um deleite ao paladar e aos olhos. Os fãs de boas histórias e de arte também ficam mais do que satisfeitos ao dar uma voltinha por lá. A cada monumento e museu que se visita é um banho de arte que se toma.

Um dos principais nomes da região é Rafael Bordallo Pinheiro (1846 -1905). O caricaturista chargista, ceramista, cartunista, jornalista, professor, decorador, escultor e pintor tem até um museu em sua homenagem, na praça central, com pinturas, cerâmicas, além de conjunto de 52 esculturas em tamanho natural com nove das 12 passagens da Via Sacra.

Em frente, o turista pode visitar também a Fábrica de Faianças de Bordallo, com mais um pouco de 21 anos de produção artística deste artista português que, assim como o francês Honoré Daumier, é considerado o mestre da caricatura em forma de escultura.

TRABALHOS
Em 1875,  Bordallo criou o popular Zé Povinho, figura do homem comum conhecido pelo gesto de dar uma ‘banana’, criticando, de forma humorística, os podres da sociedade. No mesmo ano, veio para o Brasil, publicou em alguns jornais e enviou sua colaboração para Lisboa. Aliás, atribui-se a ele ilustração referente a Chiquinha Gonzaga na capa de partitura da polca <CF51>Atraente</CF>, primeiro grande sucesso da pianista, compositora e maestrina, em 1877.

Voltou a Portugal em 1879 e dirigiu o jornal de humor político O Antonio Maria</CF>. Em 1885, começou a produção de louça artística na Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha. O artista conseguiu transformar as charges impressas no papel em esculturas, da mesma forma crítica, humorada e criativa. Peças como a figura de um aristocrata com a boca aberta a espera do cuspe alheio, é uma das mais conhecidas.

Jarras, vasos, bilhas, jarrões, pratos, saladeiras e outras peças também ganharam as características marcantes do artista e são disputadas pelos turistas nas lojas de Caldas da Rainha. Bordallo está presente por toda cidade, aliás. É possível admirar seu trabalho na decoração das casas e nas várias esculturas em tamanho ampliado espalhadas por todos os lugares.

Competição internacional de cartoon
Não à toa que Caldas da Rainha recebeu este ano a competição mais importante do mundo das artes gráficas, a World Press Cartoon. A premiação já foi realizada em Sintra e Cascais. Caldas foi escolhida pelo artista gráfico e organizador do evento, Antonio Antunes, justamente por causa da contribuição de Bordallo. A ideia dos organizadores é que a região passe a ser conhecida por Capital Mundial da Caricatura.

Antunes também é um renomado artista e tem suas obras permanentes no Metrô do aeroporto de Lisboa. São 49 caricaturas gravadas em dois tipos de mármore. Vale a pena conferir.

DOBRADINHA BRASILEIRA
As obras vencedoras do World Press Cartoon 2017 têm as assinaturas dos brasileiros Fernandes (ilustrador do Diário) e de Baptistão (Revista Veja). Gio, da Itália, Bonil, do Equador, Cost, da França, Kountouris, da Grécia, Alireza Pakdel, do Irã, Toshow, da Sérvia e Swen, da Suíça completam a lista.

A exposição no Centro Cultural e de Congressos (CCC) de Caldas – que ficará em cartaz até 10 de agosto – conta com conjunto de 267 caricaturas, cartoons, editoriais e desenhos de humor que, segundo o organizador Antonio Antunes, trazem “olhares de diferentes culturas, obras em que os cartunistas retratam e criticam o andar do Mundo, com a acutilância do sorriso”.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados