Lá na Barra ...

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanessa de Oliveira

Quando se fala em Rio de Janeiro, as praias são o primeiro pensamento que vem à cabeça. Mas a Barra da Tijuca, bairro nobre da Zona Oeste, mostra que os atrativos do Estado vão muito além disso. Um exemplo é o “Pantanal Carioca”, como é conhecida a área envolvida pela Lagoa de Marapendi, termo de origem tupi que significa “rio do mar raso”, e que integra o Parque Natural Municipal Nelson Mandela.

Com 10 quilômetros de comprimento, a lagoa tem como vegetação mais abundante o manguezal, que abriga grande diversidade de aves, como garças, além de outros animais, como capivaras e até jacarés. Por meio de um passeio ecológico feito por balsa de empresas turísticas, o local, que exala tranquilidade, pode ser desbravado. O passeio de uma hora e meia de duração encanta os passageiros, com sua fauna e flora. Só é possível lembrar que se está no Rio de Janeiro quando, ao longo do percurso, prédios despontam ao longe na paisagem, além da música ambiente, como clássicos da bossa nova, que também reafirmam que aquele solo é carioca.

A forma de conhecer o lugar depende do gosto do turista. Há passeio que conta com a presença de biólogo que, com propriedade, explica sobre os principais aspectos desse paraíso ainda desconhecido por muitos. Em outro, o espetáculo da natureza quando o sol se põe fica ainda mais completo com a trilha sonora executada ao vivo por violonistas, saxofonistas, entre outros instrumentistas.

Os passeios ecológicos surgiram com propósito educativo, visando conscientizar os próprios moradores (que também se locomovem de barco ou balsa pela lagoa) sobre a importância da preservação da região. “Aqui é o quintal da casa deles”, salienta o gerente geral da Barrabalsas – uma das empresas que oferecem o tour – ,José Alexandre Carneiro. O valor para desfrutar de toda a exuberância que a área oferece depende do número de passageiros (quanto maior o grupo, o preço será mais acessível, podendo, nesse caso, variar de R$ 35 a R$ 45 por pessoa). As balsas têm capacidade para até 120 passageiros e banheiro a bordo.

A jornalista viajou a convite da Vert Hotéis, em parceria com a Avianca


Praias? Também tem

Estando em pleno Rio de Janeiro, colocar os pés na areia e na água do mar é situação mais do que obrigatória. Só a área a qual pertence a Barra da Tijuca possui 24 quilômetros de praia. Algumas se destacam por alguns motivos. A do Recreio proporciona contato ainda mais intenso com a natureza a partir da sua reserva ecológica na área de proteção ambiental no entorno da Lagoa de Marapendi. Em sua orla, a praia conta com vários quiosques e boa infraestrutura de atendimento. Dá para passear o dia inteiro numa boa.

Próximo a ela localiza-se a Praia da Macumba (ou do Pontal de Sernambetiba), conhecida como o paraíso dos surfistas. Uma grande pedra no local serve como mirante para apreciar a beleza de ponta a ponta e também contemplar o belo pôr do sol.

A Prainha é um santuário ainda preservado com, aproximadamente, 150 metros de extensão, areias claras e águas cristalinas próprias para o banho. Localizada logo depois da Praia da Macumba, separada por um morro, o acesso ao local é feito de carro. A infraestrutura é pequena, contando apenas com dois quiosques e um estacionamento.

A Praia da Joatinga tem beleza selvagem e fica na encosta de um morro. É uma das mais bem protegidas reservas naturais do Rio de Janeiro e possui grande diversidade ecológica da Mata Atlântica e manguezais. Mais procurada por quem deseja relaxar e busca por um pouco de silêncio, chama a atenção de surfistas profissionais por suas ondas.

Declarada área de proteção ambiental em 1987, a Praia de Grumari manteve seu aspecto agreste com muito verde e águas claras. Assim com a Prainha, ela também é um santuário ainda preservado. Tem aproximadamente quatro quilômetros de extensão e é tida como uma das mais belas praias do Rio de Janeiro.

Visitas aos parques Olímpico e Aquático são gratuitas

Lá, também na Barra, se concentra a maior parte do legado dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos 2016, que voltaram os olhos do mundo ao Rio de Janeiro. O Parque Olímpico, considerado o coração da competição, ocupa área de 1,18 milhão de metros quadrados, onde ocorreram disputas de 16 modalidades.

Vai ser lá que, em setembro, acontecerá o Rock in Rio. Além do local ter quase o dobro do espaço em relação à edição de 2015, o BRT (Bus Rapid Transit, ou Transporte Rápido por Ônibus, na tradução) trafega em corredor exclusivo. O Metrô também vai facilitar o acesso à área. Outra herança da Olimpíada, o Parque Aquático Maria Lenk foi construído para os Jogos Pan-Americanos Rio 2007. A área foi projetada de acordo com os requisitos da Fina (Federação Internacional de Natação) para grandes competições.

De propriedade da prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, a instalação foi totalmente integrada ao Centro COT, funcionando como centro de excelência em todos os desportos aquáticos, além de ser utilizado para disputas regionais e internacionais. Ambos os locais são abertos para visitação do público, gratuitamente.

ONDE FICAR

Dos 42 mil quartos de hotel existentes no Rio de Janeiro, 12.850 estão na Barra da Tijuca. Entre as opções está a rede Vert Hotéis, que possui três locais de hospedagem, com equipamentos recém-inaugurados.

Um deles é o E-suites Riocentro Verano Stay, instalado dentro do condomínio Rio 2, que dispõe de acomodações com cozinha e espaço de lavanderia. As diárias em apartamento Luxo duplo têm valores a partir de R$ 450 com café da manhã e internet inclusos.

No Ramada Encore Ribalta, ambiente estimula o convívio entre os hóspedes, com a área denominada The Hub – que possui mesa de sinuca e bar que funcionam 24 horas. As diárias em apartamento duplo têm valores a partir de R$ 434 com café da manhã e internet inclusos.

Já o Ramada Recreio Shopping encontra-se dentro do Complexo do Recreio Shopping. As diárias em apartamentos duplos têm valores a partir de R$ 380, nas mesmas condições.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados