Celebração do tupi

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Marcela Munhoz

Limeriques são poemas curtos, geralmente sobre coisas ou situações engraçadas. Eles têm sempre cinco versos, onde a primeira, a segunda e a quinta linhas terminam com a mesma rima. O terceiro e o quarto verso rimam entre si. A escritora Tatiana Belinky era uma que adorava usar o recurso para divertir seus leitores. A técnica também é a principal inspiração para Tupiliques – O Espetáculo, que será apresentado hoje, às 20h, no Teatro Clara Nunes, em Diadema.
 
A produção da Cia. Repentistas do Corpo saiu após convite de César Obeid, escritor do livro Tupiliques – Heranças Indígenas no Português do Brasil. “Ele rimou em limeriques palavras do tupi-guarani que usamos no dia a dia, às vezes, sem nem darmos conta. O resultado foi um livro bem humorado e bem escrito que fala sobre as coisas do Brasil. O espetáculo passa isso”, explica o diretor artístico da Cia, Sérgio Rocha.
 
Chegando a quase 100 apresentações, a produção mistura dança, teatro, música e percussão corporal em movimento, característica principal da Cia, criada em 2001. “Surgiu a partir do desejo de mesclar as linguagens. Os artistas têm várias habilidades e cada espetáculo exige uma diferente”, diz.
 
De acordo com Rocha, o retorno que o elenco – formado pelos artistas Cláudia Christ, Marcela Miyashita e Vitor Bassi – é sempre positivo. “Todo mundo comenta da importância de abordar a temática indígena, faz o público pensar. É história para a família toda ver.” A trilha sonora foi composta especialmente para o espetáculo pelo produtor musical Edson X. A iluminação é do Ari Buccioni e os figurinos de Luciene Grecco.
 

Tupiliques – O Espetáculo – Teatro. Hoje, às 20h, No Teatro Clara Nunes – Rua Graciosa, 300, em Diadema. Tel.: 4056-3366. Entrada gratuita. 




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados