Duas décadas de magia

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Karine Manchini

 Juro solenemente não fazer nada de bom’, ao contrário do que diz a frase usada para abrir o Mapa do Maroto, objeto mágico utilizado pelos personagens das histórias de Harry Potter, os livros da saga de bruxos fizeram tão bem que não conquistaram apenas alguns fãs, mas conseguiram marcar gerações com suas tramas de magia. No total, foram lançados sete livros e oito filmes. E hoje, o primeiro da série, Harry Potter e a Pedra Filosofal, completa 20 anos, o que marcou oficialmente o nascimento do personagem Harry Potter no mundo.

Milhares de pessoas já leram os livros do bruxinho e muitas delas ainda se identificam com a saga, como é o caso da jornalista Ana Carolina Lorente, 22 anos, moradora de São Caetano. Ela é apaixonada pelo personagem desde a primeira vez que assistiu ao filme de estreia, em VHS, em 2001. Quando sua mãe percebeu que Ana estava gostando do tema, decidiu levá-la a uma biblioteca para encontrar os livros da série. Lá se deparou somente com o terceiro, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. Mas a garota não pensou duas vezes antes de levar a obra para casa. Aos 7 anos já se considerava uma grande fã, e, muito além de a entreter, Harry Potter fez Ana superar alguns momentos difíceis que estava passando no período, inclusive o medo que sentia de ler livros muito extensos.

“Na época em que comecei a ler, meus pais tinham acabado de se separar, algo que impactou muito. Ter acesso ao mundo de Harry Potter me fez fugir daquela realidade. Foi uma terapia para mim e, por meio dele, comecei a ler outros livros. Meu primeiro foi um pop up de A Bela Adormecida. Tinha, no máximo, dez páginas e depois de ler Harry Potter já não tinha medo do tamanho deles. Harry Potter me abriu para um mundo de oportunidades. Devorei livros, comecei a escrever meus próprios contos e, quando vi, já havia decidido que quando crescesse seria jornalista e também contaria histórias”, explica.

Além de ter todos os livros e filmes da saga, Ana Carolina tem porção de objetos relacionados ao universo do bruxinho famoso. Isso inclui álbuns, livros ilustrados, camisetas, chaveiros, revistas, objetos que funcionam de verdade, como uma varinha mágica e um exemplar do Mapa do Maroto. Ela tem ainda uma tatuagem nas costas com o símbolo das Relíquias da Morte, que são três itens mágicos tratados na obra. “Quando meus amigos vão para a Disney (nos Estados Unidos) sempre trazem algo do parque do Harry Potter. Aliás, meu sonho é conhecer aquele lugar e os estúdios em Londres”, conta.

Já Mirelle dos Santos Souza, 23, estudante e moradora de São Bernardo, começou a ler os livros do bruxinho recentemente e, mesmo já conhecendo a história por causa dos filmes que viu quando criança, ficou ainda mais encantada com os contos. Para ela, as tramas passam mensagens especiais aos leitores. “É mais que um personagem de ficção, nos traz para a realidade e trata de alunos que estão distantes da família, principalmente de um garoto que perdeu os pais muito cedo. Mostra a rejeição que ele sofre por ser ‘diferente’, e, acima de tudo, o valor da amizade. É reflexivo e me faz pensar na luta contra os nossos medos e acreditar na magia que existe dentro de cada um de nós”, finaliza Mirelle, que, além da coleção de livros, possui também uma tatuagem: os óculos de Potter e o famoso raio (cicatriz do personagem).

Os fãs podem se animar: em comemoração ao aniversário, a Rocco, em parceria com a Amazon, criou um box (Caixa Harry Potter, 3.067 pág, R$ 219,90) com sete capas inéditas no Brasil. Para quem gosta de ler em inglês foram lançadas edições coloridas com o brasão das casas dos bruxos (Harry Potter And The Philosopher''s Stone – Gryffindor Paperback Edition, 368 pág. de R$ 34,90 a R$ 64).

Contos vão muito além de história juvenil
Engana-se quem pensa que a obra é só uma história de bruxos. Além de incentivar a criatividade e interação, ela trata de temas sociais importantes como bullying na escola, rejeição, preconceitos raciais e sociais A família Weasley sofre por ser de origem humilde e a personagem Hermione carrega o peso de ser filha de pais não bruxos.

A história se baseia na vida de menino órfão que mora com os tios que o odeiam. Harry sofre com desprezo e com a falta de amigos, além de não saber nada sobre seu passado, que é escondido pelos parentes. Mesmo com a solidão ele se mantém sonhador e descobre no dia do seu aniversário que, na verdade, é um bruxo famoso no mundo da magia. Isso porque o garoto sobreviveu ao ataque do feiticeiro mais terrível e poderoso de todos os tempos, Lord Voldemort.

O conto criado pela escritora britânica J.K. Rowling, porém, não foi levado a sério no início. Foi rejeitado por algumas editoras, mas, após seu lançamento, se tornou um sucesso tão grande que a obra já foi traduzida em mais de 65 idiomas, ganhou produção nos cinemas, diversos materiais temáticos e um parque de diversão, além de conquistar gerações




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados