O deserto de cada um

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Marcela Munhoz

“Sabia que meu próximo balé seria algo em tons quentes, com vermelho e laranja. Surgiu a ideia de fazer um deserto. Foi quando, em 2014, criei o Deserto dos Anjos. Até então era só uma coreografia. Ao longo do processo, percebi que o deserto não era de areia e que os anjos não tinham asas. A busca profunda começou ali. Os bailarinos fizeram busca pessoal pelo ‘deserto de cada um’. Todos embarcaram na síntese da obra e constataram que não é tão vazio”.

Já por esta fala da coreógrafa Ingrid Pompermayer dá para perceber o quão profunda é a montagem que ela fez para o Grupo Jovem Andreense. A segunda versão do espetáculo Deserto dos Anjos, com realização do Studio Coreográfico Corpore Sano, será apresentada no dia 9, às 20h30, no Teatro Municipal de Santo André. Segunda versão porque, desta vez, o elenco – composto por 16 bailarinos – dança como tributo à Janaina Onaga. Uma das principais artistas do grupo morreu em janeiro, aos 17 anos.

“Ninguém está preparado para lidar com a morte. Janaina era incrível. Desde o começo minha ideia foi a de não substituir o papel dela. Janaina é insubstituível. Inevitável ter que mexer nas coreografias, o que foi muito doloroso, mas a ‘Jana’ estará representada com outros elementos. Quem assistiu à primeira versão vai entender, quem não assistiu também. A sensação ao voltar ensaiar foi vazia, mas foi preenchida de alguma forma, pois a vida dela era a dança e nós queríamos fazer por ela. Foi nisso que o grupo se agarrou para levantar a obra novamente. A melhor forma de homenagear Janaina é fazendo o que ela mais amava: dançar!”, diz Ingrid.

Segundo a coreógrafa, o elenco está muito empenhado para reproduzir, inclusive, coreografias novas feitas especialmente para Janaina. “O público vai se emocionar e ter várias sensações singulares. A ideia é que, cada um, reflita e se permita vivenciar suas próprias emoções”, finaliza.

> Deserto dos Anjos – Dança. No Teatro Municipal de Santo André – Praça 4º Centenário. Dia 9, terça-feira, a partir das 20h30. Ingressos: R$ 15, R$ 20 e R$ 30. Podem ser comprados no Studio Corpore Sano (Rua Alvarez de Azevedo, 286), pelo 98901-2166 ou no dia, na bilheteria do teatro.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados