Elke vive

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Marcela Munhoz

 Em 16 de agosto, Elke Maravilha partiu deste mundo, mas, para os fãs, ela ainda vive e tem espaço enorme no coração de Adriano Salhab. O cantor, compositor e instrumentista pernambucano dividiu o palco com a atriz por três anos no espetáculo Elke Conta e Canta e, esta noite, vai lançar single em sua homenagem. O show será às 20h em bar da Rua Augusta, em São Paulo.

“Desde o começo nossa sinergia foi total. O Elke Conta e Canta durou de junho de 2015 a janeiro de 2016, foram oito apresentações e ficamos muito amigos”, conta o artista, que vai interpretar Elke Mulher Maravilha. Esta é a primeira vez que vai tocar com todos os músicos que o acompanham – as bandas Sol a Pino, Amor Grave e Bonjour Pará. “A música é parceria póstuma com Itamar Assumpção. Musiquei o poema dele (1998) e acrescentei duas estrofes”. Nas mãos do pernambucano a poesia ganhou roupagem sonora intensa e rítmica, flertando com o ijexá e o afoxé.

Elke Mulher Maravilha/Uma deusa pagã/Um sonar/Um altar, uma trilha. O trecho faz parte da obra, que faz referência ao fato de ela ter morrido sem pátria, já que sua família abdicou da nacionalidade russa para viver no Brasil – depois perdeu a nacionalidade brasileira ao ser presa por desacato na ditadura militar.

De acordo com Salhab, Elke era mulher muito especial e merece todas as homenagens possíveis. “É a única pessoa que conheço que era autêntica sempre. Tive a oportunidade de passar três dias no apartamento dela. A primeira coisa que fazia era tomar banho e se montar, do jeito que todo mundo via na televisão, para ficar em casa mesmo. Estava sempre sorrindo, nunca tinha alteração de humor”, lembra.

O artista também se recorda da última vez em que se apresentou ao lado dela. “Elke já tinha tido crise forte da danada da úlcera aos 30 e poucos anos e sempre dava um jeito de contornar a doença, mas a idade chegou. Teve crise aguda em Recife, às vésperas de a gente se despedir dos palcos com o espetáculo. Até falei para a gente desistir, mas ela disse que a dor seria a mesma no palco ou fora dele. Resultado: abriu o jogo com a plateia, que ficou impressionada. Depois, ela ainda ficou mais duas horas dando autógrafos. Elke era incrível”, finaliza.

>Elke Mulher Maravilha – Show. No Sensorial Cervejas, Cafés & Discos. Rua Augusta, 2.389, em São Paulo (Tel.: 3333-1914). Hoje, a partir das 20h. Ingresso: R$ 12. Mais informações no site www.sensorialdiscos.com.br.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2018. Todos os direitos reservados