A beleza da Canastra

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanessa Soares - Do Diário do Grande ABC

 

 

Reunir dias de descanso em meio a paisagens exuberantes, em um local cheio de histórias para contar, com boa culinária e que ainda permite aos aventureiros contato direto com a natureza é o sonho de todo e qualquer bom viajante. O melhor de tudo: esse lugar existe.
Localizado na região Sudoeste de Minas Gerais, a Serra da Canastra, a cerca de 550 quilômetros do Grande ABC, possui um dos cenários mais deslumbrantes e desconhecidos do Brasil. É lá que fica o Parque Nacional da Serra da Canastra, criado em 1972, onde nasce o Rio São Francisco e estão uns dos mais belos cartões- postais do País, como a Cachoeira Casca D’Anta, com quase 200 metros de altura, a primeira grande queda do ‘Velho Chico’.
O circuito turístico da Canastra é formado por 11 municípios: São Roque de Minas, Araxá, Bambuí, Campos Altos, Ibiá, Medeiros, Perdizes, Sacramento, Tapira, Tapiraí e São João Batista do Glória.
Os jornalistas Marden Couto e Luana Bastos, idealizadores da Expedição Turismo de Minas e editores do Guia de Viagem Minas Gerais, descrevem a região como “um lugar único, que une natureza e gastronomia e onde os turistas não são meros expectadores”.
Para quem deseja mergulhar a fundo nessa aventura, Luana indica pelo menos quatro dias na região, sendo dois deles dedicados a conhecer apenas o parque nacional. No primeiro a parte alta acessada por São Roque de Minas, município que fica a apenas 6,5 quilômetros da entrada do parque, onde está a nascente do Rio São Francisco e de onde é possível observar o alto da Cachoeira Casca D’Anta. E o segundo dia para a parte baixa, acessada pela cidade de Vargem Bonita. Separe tempo para admirar a queda da cachoeira e se banhar no poço.
Além disso, a região é famosa pela produção do queijo da Canastra e muitas fazendas abrem as portas para que os turistas conheçam de perto o passo a passo da fabricação. Os dois últimos dias seriam para conhecer essas produções.
A melhor época para visitação é no outono – de março a junho –, ou na primavera – de setembro a dezembro –, pois são as estações com temperaturas mais amenas e com menos chuva, deixando o clima para o passeio mais agradável. Para hospedagem, São Roque de Minas é a cidade mais indicada, pois possui melhor infraestrutura para atender os hóspedes, com hotéis e pousadas para todos os bolsos e gostos.
No entanto, quem quiser esticar um pouco a viagem, Capitólio, que fica a cerca de 100 quilômetros do parque nacional, merece a visita.

 

 

Queijo mais famoso do Brasil é produzido no local

Destaque da região, é na Serra da Canastra onde se concentra a produção do queijo mais famoso do Brasil. Fabricado há mais de 200 anos, é considerado primo distante do queijo Serra da Estrela, produzido em Portugal, que foi trazido para o Brasil pelos imigrantes da época do Ciclo do Ouro. Produzido com leite cru e de forma artesanal, o queijo da Canastra possuí sabor característico: forte, picante, denso e encorpado.
A iguaria representa como ninguém a gastronomia mineira e foi um dos primeiros produtos a conseguir o selo de origem Brasil. É também, desde 2008, considerado patrimônio cultural imaterial certificado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).
É em São Roque de Minas onde se concentra o maior número de produtores do Estado, que abrem suas fazendas para receber visitantes.
Entre os fabricantes, é possível conhecer diversos deles, como a Estância Capim Canastra, a Fazenda São Bento – que já recebeu algumas vezes o título de melhor queijo artesanal –, a Fazenda Agroserra, que produz o Canastrão (queijo com cerca de sete a oito quilos) e onde é possível fazer degustação, e a fazenda Capão Grande, entre outras.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados