Família Carlone mantém legado de Eloi

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Miriam Gimenes

Há um ano o Diário repercutia a morte de Eloi João Carlone (1948-2016), que morreu em 22 de fevereiro de 2016, aos 68 anos, em decorrência de infecção hospitalar. Foi uma perda não só para São Bernardo como também para a classe artística.
 
Nem por isso a casa de shows, que abriu em 1999 o complexo recreativo Estância Alto da Serra, ficou sem norte. Liderados por seu filho Eloy Carlone, 36 anos, os familiares deram continuidade ao legado. “Graças a Deus tive o privilégio de, desde o começo, estar aqui junto, trabalhando. Eu já tocava o negócio com ele, que foi o idealizador, uma pessoa empreendedora, que estava sempre olhando para frente e que nos ensinou muito. Nós, os filhos, junto com minha mãe, continuamos cada um com as suas funções e estamos trabalhando”, diz Eloy.
 
É claro que, no dia a dia, a falta do pai é gritante. “Sempre tínhamos o ombro companheiro do lado, principalmente na tomada de decisões. Aqui (Estância) é um local onde tudo lembra ele, para gente é bem difícil, mas como sobrevivemos disso temos de tocar.”
 
A crise, principalmente no último ano, segundo Eloy, fez com que mudassem os planos do empreendimento. Tanto que, recentemente, passaram a fazer eventos corportativos e também casamentos no espaço.
 
Mas os tradicionais shows continuam norteando as atividades da Estância. A exemplo, já estão programados, para o dia 25 de março, apresentações de Fernando & Sorocaba e Thaeme & Thiago, cujos ingressos estão sendo vendidos a partir de R$ 25 no site www.estancia.com.br.
 

E devem chegar mais novidades por aí. Uma área comprada ao lado do espaço poderá abrigar hotel ou até mesmo de logística. Em meio a tanto trabalho, Eloy revela seu sonho “Continuar essa história. É difícil ver uma casa de eventos que se mantém por 18 anos. Para gente isso já é um verdadeiro sucesso”, finaliza.   




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados