Para lavar a alma

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanessa Soares Oliveira

 Com origem no tupi-guarani, Mantiqueira quer dizer ‘serra que chora’. Diz a lenda que o local que compreende a serra atualmente era moradia de uma tribo indígena de guaranis e daí o nome Serra da Mantiqueira. Verdade ou não, o fato é que Visconde de Mauá, localizada nessa região, possui águas abundantes. O que mais se vê por lá são rios, riachos, nascentes, água que brota por todos os lados e forma quedas-d’água, e piscinas naturais de águas cristalinas incontáveis que merecem ser conhecidas.

Com tanta opção fica difícil saber por onde começar. No passeio mais tradicional é possível conhecer os principais pontos turísticos como a Cachoeira do Escorrega, o Poção de Sete Metros, Cachoeira Véu da Noiva e Santa Clara.

Além disso, é possível visitar outros pontos tão exuberantes quanto e menos explorados, o que torna a experiência ainda mais especial, como o Vale do Alcantilado, Cachoeira da Fumaça, o entorno e o Parque Nacional do Itatiaia, Pedra Selada, Santo Antônio com cachoeiras gigantes, Vale do Mirantão e Vale do Pavão.

O indicado para quem não conhece a região é ir acompanhado por um guia experiente. A Remorini Turismo de Aventura (é a única agência em Visconde de Mauá que oferece estrutura completa e realiza passeios para todos esses pontos turísticos). Os preços variam de R$ 70 a R$ 250. Todas as atividades incluem seguro. Mais informações sobre os pontos turísticos e reservas estão disponíveis no site (www.remoriniecoaventuras.com.br) ou pelo telefone (24) 3387-1011.

No alto da Vila do Maromba, a Cachoeira do Escorrega é de fácil acesso e proporciona diversão garantida aos turistas de todas as idades. A pedra caída no meio do Rio Preto criou um tobogã natural com cerca de 30 metros de extensão, no qual é possível escorregar em segurança. É o cartão-postal da região.

Localizado na Estrada do Maromba, o Poção de Sete Metros é outro ponto turístico muito procurado em Visconde de Mauá. Uma pedra com sete metros de altura (daí o nome) possibilita saltar direto para dentro do poço, que tem cinco metros de profundidade. Além disso, as pedras espalhadas nesse ponto criam piscinas naturais boas para banho.

Formada pelo Rio Santa Clara, a cachoeira é uma das mais belas da região. Sua queda forma uma grande piscina natural e as ondulações da pedra criam diversas duchas. Quando o rio não está com a cheia total, é um ponto perfeito para a prática de rapel. A Remorini também oferece o passeio.

Com cerca de 30 metros de queda natural, a Cachoeira Véu da Noiva é o ponto favorito de muitos turistas e moradores locais. É um ponto perfeito para desfrutar da beleza natural da região e descansar ao som relaxante das águas batendo nas pedras. É de fácil acesso e possui uma das trilhas mais belas de Visconde de Mauá.

Onde engordar vale cada caloria
Se é possível existir algo melhor do que a natureza exuberante em Visconde de Mauá, esse item é a gastronomia. Parada obrigatória, o Rosmarinus (Estrada Mauá-Maringá, km 1), do chef Julio Buschinelli, oferece tudo aquilo que se encontra em um bom restaurante: local agradável, comida gostosa e atendimento de primeira classe.

Inspirado na região, a Truta Visconde de Mauá (filé de truta na crosta de aveia, molho de azedinha e purê de batata), uma das opções do cardápio, é de comer rezando. Carro-chefe da casa, o sofiotti de queijos (massa em formato de envelope recheada de queijos variados) prova sem sombra de dúvidas por que é o mais pedido do cardápio. Além disso, o merengue italiano com frutas vermelhas fecha a refeição com chave de outro.

CULINÁRIA TRADICIONAL
Por também ter uma parte do território em Minas Gerais, a culinária típica do Estado é encontrada com facilidade em Visconde de Mauá.Com releitura contemporânea de vários clássicos mineiros, entre outras opções no cardápio, o restaurante Gosto com Gosto (Rua Wenceslau Braz, 148), da chef Mônica Rangel, oferece comida difícil de descrever em palavras. Além disso, o local aconchegante e o atendimento acolhedor criam o ambiente ideal para boa refeição. Lá ainda é possível comprar alguns ingredientes que compõem os pratos da casa, como linguiças e doces, O restaurante também possui cachaçaria própria, com mais de 640 rótulos, sendo que, desses, 100 marcas são servidas para degustação.

Boa pedida para entrada é o trio de linguiças (fatias de linguiças caseiras de porco, cordeiro e frango servidas na chapa e acompanhadas de anéis de cebola, bolinho de mandioca recheado com queijo e chutney de fruta da estação). O tutu à mineira (creme de feijão, acompanhado de costelinha de porco ao molho de laranjas, anéis de linguiça, torresmo crocante, ovo cozido, couve refogada e arroz) vai trazer aquele gostinho de quero mais. E como não pode deixar de ser, doces caseiros típicos deliciam o paladar de forma surpreendente.Ambos valem (e muito) a visita.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados