O que é ser sul-americano?

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Miriam Gimenes

 A fim de responder à pergunta que dá título a esta reportagem que a artista andreense Julia Viana, 30 anos, e o paulistano Luciano Favaro, 36, saíram a bordo de uma Kombi em 20 de março do ano passado rumo à maior aventura de suas vidas: conhecer 12 países da América Latina.

Durante os sete meses que ficou on the road, além de experiências impagáveis, o casal trouxe na ‘bagagem’ trabalhos artísticos e, parte deles integra a exposição Solo Sul, em cartaz até 19 de março no Gambalaia Espaço de Convivência e Artes, em Santo André. São fotos, vídeos e textos que abordam a relação com as fronteiras e com o território sul- americano. Com curadoria de Yudi Rafael, a exposição compõe o projeto contemplado pelo ProAC Artes Integradas, da Secretaria de Cultura do governo do Estado de São Paulo.

Na mostra de Santo André, especificamente – tem uma também em São Paulo –, estão três trabalhos: fotos dos sacos com a terra recolhida nas 12 fronteiras, xerox dos livros latinos selecionados pelo casal e um vídeo que conta com entrevistas feitas com mais de 40 pessoas, entre elas o ex-presidente uruguaio Pepe Mujica, perguntando o que é ser latino-americano.

E vocês chegaram a alguma conclusão? “Generalizar é muito complicado. Até por conta da colonização, nós somos várias coisas”, diz Luciano. E Julia completa: “Foi bom, para nós, brasileiros, que costumamos buscar algo no europeu, reconhecermos que temos mais a ver com esses povos do que imaginamos”.

O casal, que garimpou ou ganhou cerca de seis livros em cada país que passou – Paraguai, Uruguai, Argentina, Chile, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana e Suriname –, selecionou alguns títulos e montou uma biblioteca no local, que permite leitura ou xerox das publicações. “Assim podemos proporcionar o contato do público com escritores muito bons, que não temos acesso”, diz Luciano.

As terras fotografadas que foram recolhidas pelo casal viraram horta em São Paulo – na Oficinal Cultural Oswald de Andrade – e mostraram para eles que o limite entre os países é, de fato, imaginário. “Quando está nessa zona de fronteira você se dá conta que, na realidade, ela é ilusória. As mesmas coisas que passamos aqui, como os problemas, eles passam por lá. É tudo muito híbrido”, finaliza Ju.

> Solo Sul – Exposição. No Gambalaia, Rua das Monções, 1.018, em Santo André. De sexta e sábado, das 20h às 23h e, aos domingos, das 17h às 21h. Gratuito.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados