Para olhar e aplaudir

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Karine Manchini<br>Especial para o Diário

 Arte para a comunidade, feita na periferia, tem futuro? Opa, se tem. Quando Jodson Nascimento Silva, 38 anos, era adolescente, em Diadema, e criou rap como forma de gravar o que aprendia em sala de aula, nem sonhava que, um dia, sua ideia renderia e daria origem ao Matéria Rima, projeto premiado e reconhecido mundialmente.
Desde aquela época até hoje se passaram 15 anos de muitas boas histórias para contar. Os melhores momentos podem ser vistos até dia 30 no Conjunto Nacional, em plena Avenida Paulista, em São Paulo.
Logo de cara, o visitante é surpreendido por grafites feitos com a ajuda de alunos atendidos pelo projeto, Quem vai até a exposição encontra também fotos de diversos lugares por onde passaram – como Alemanha, Senegal e França – e reportagens sobre o trabalho do grupo.
“O melhor lugar para mostrar o que é o Matéria Rima e o que fazemos era mesmo no Centro de uma metrópole como a Capital. Mas também queremos trazer a mostra para a nossa região”, conta o coordenador e fundador do projeto, Jodson, também conhecido por MC Joul. No momento, ele está atrás de parcerias para viabilizar a ideia da exposição se tornar itinerante.
Com o objetivo de ajudar a melhorar o desempenho dos alunos na escola, o Matéria Rima, fundado em 2002, atende hoje mais de 900 crianças e adolescentes. O objetivo, contudo, é chegar a 1.000 em 2017.
Além disso, desde 2003, o projeto caminha de mãos dadas com escolas de Diadema. Eles participam do programa Cidade na Escola e levam oficinas educativas aos estudantes, como grafite, dança de rua, discotecagem, rima e pandeiro.
Quem quiser conhecer mais o projeto pode ir até a sede, que fica na Rua dos Bororós, 768, bairro Conceição, Diadema (Tel.: 4308-0339), ou acessar a página do grupo no Facebook (matérima).

Matéria Rima 15 anos – Exposição. No Conjunto Nacional, Avenida Paulista. 2.073, em São Paulo. Até o dia 30 de janeiro, de segunda a sábado, das 9h às 21h, e aos domingos e feriados, das 12h às 21h, A entrada é gratuita.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados