A arte de fazer rir

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanessa Soares<br> Do Diário do Grande ABC

 Se tem uma coisa que é totalmente indiscutível é que brasileiro sabe fazer piada e rir das próprias desgraças. Basta acessar as redes sociais quando um fato impactante acontece para se ter certeza de que a criatividade não tem fim. E em meio a todo esse bom humor coletivo, quem nasceu com o dom de transformar os acontecimentos não tão favoráveis em boas piadas se destaca.
Entre esses está o publicitário de São Caetano Patrick Maia, 31 anos, que desde 2009 resolveu largar o escritório e usar a sabedoria de fazer rir como meio de sobrevivência.
Apesar de arriscada, a tentativa deu mais que certo e prova disso é que dia 1º de janeiro chega ao catálogo da Netflix seu segundo DVD de comédia, Home Office, lançado em setembro e disponível para compra no site do artista (patrickmaia.com.br). “Esse é o caminho mais legal para divulgar um trabalho”, explica Maia, em conversa com o Diário.
Inspirado pela experiência de compra e reforma de um apartamento antigo no Centro de São Paulo, em Home Office, Maia, que também assina a direção do especial, aborda esse processo entre comprar e remodelar sua casa, incluindo pedreiros problemáticos, adaptação ao novo bairro, vida de casado e sua infância na igreja evangélica. “Passei muito tempo nessa loucura absurda de ir em loja de construção, brigar com pedreiro, comprar coisa errada e ter que trocar. Quando acabou fiz muita piada sobre o assunto, porque era impossível não fazer”. E para registrar tudo isso, nada melhor do que usar de cenário o próprio apartamento.
Além disso, o artista aborda ainda sua infância na igreja evangélica. “Faço piada com as coisas que estão ao meu redor e falo do que lembro daquela época”, explica. E se engana quem pensa que o público evangélico que comparece aos shows acha ruim as citações. “Faço as piadas sobre crente durante o show e no fim alguns deles vêm rindo falar que tudo é verdade”, conta.
Apesar da novidade, Home Office não é o primeiro DVD de Maia que chega à Netfilix. Desde 2014, quando as produções independentes começaram a ter espaço no serviço de streaming é possível assistir a Patrick Maia: Piadas para Pessoas, que desde então aparece entre os destaques do catálogo.

CARREIRA
Publicitário de formação, as dificuldades encontradas para conquistar uma carreira de sucesso fizeram Maia desanimar. A comédia entrou na sua vida meio que por acaso, quando os humoristas e os stand ups começaram a ganhar destaque. “Assistindo a um show pensei: ‘Será que é tão difícil entrar nesse meio igual é para ser publicitário’”, relembra.
A primeira apresentação foi em São Bernardo, no Duets Bar e Videokê. “Foi ruim”, afirma. Daí em diante foram muitos shows de graça. “No início comediante não ganha dinheiro, mas sim a chance de arruinar a vida das pessoas”, brinca.
O passatempo virou coisa séria quando ele ganhou o primeiro cachê. “Fui substituir alguém que não foi e ganhei R$ 200. Comecei a fazer as contas e quando os cachês empataram com o salário da agência, sai correndo”, finaliza.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados