Viva a Colômbia!

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Marcela Munhoz

É na dor que a gente reconhece quem realmente está ao nosso lado. E a Colômbia se mostrou verdadeira irmã após acidente com o avião da Chapecoense. A homenagem no Estádio Atanasio Girardot, em Medellín, e a atitude do Atlético Nacional em solicitar à Conmebol que desse o título da Copa Sul-Americana aos brasileiros são apenas alguns exemplos de compaixão do povo colombiano, considerado pelos turistas que já estiveram no país vizinho um dos maiores motivos para se apaixonar pelo destino.

A cada ano, a Colômbia tem recebido cada vez mais visitantes. O país, que já precisou conviver com o ‘reinado’ do narcotraficante Pablo Escobar e, há pouco, parece estar conseguindo se livrar das garras das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) – em julho, foi assinado cessar-fogo bilateral definitivo entre eles e o Governo do país – está ansioso, e preparado, para voltar a receber bem.

Na lista de turistas, os brasileiros estão em terceiro lugar, atrás dos Estados Unidos e Venezuela. De acordo com a ProColômbia, entidade de promoção do país no mundo, apesar de o começo do ano ter sido ''conservador'' em relação à procura, as últimas pesquisas apontam aumento de 35% de viagens de brasileiros se comparado ao mesmo período em 2015 (de janeiro a setembro). “Além de todos os atrativos da Colômbia, vocês começaram a nos olhar mais porque buscam por destinos próximos e que estão mais em conta”, explica Alejandro Peláez, diretor da ProColômbia no Brasil.

Agora um terceiro motivo deve aumentar esta porcentagem: o cumplicidade em relação ao futebol. “O que aconteceu com a Chapecoense foi uma tragédia que nos tocou. O futebol mexe conosco da mesma forma que com os brasileiros; faz parte da nossa cultura e é considerado algo muito mais profundo do que um simples esporte. Este tipo de características demostra que os nossos países têm muito em comum e, de repente, foi esse sentimento de fraternidade que motivou a todos os ‘paisas’ (como são conhecidos os nativos de Medellín) a fazerem as homenagens.”

A geografia privilegiada – o país fica na linha do Equador, razão pela qual não tem estações e o clima é estável o ano todo –, a rica história e a biodiversidade – a Colômbia abriga a Selva Amazônica, a Cordilheira dos Andes, o Mar do Caribe e o Oceano Pacífico, são motivos de sobra para começar a procurar agora pacotes para conhecer o país. “A Colômbia é país do ‘realismo mágico’, pois o passado convive em harmonia com o presente e, às vezes, parece que somos vários países em um só. Basta ir para entender”, conclui.

As cidades colombianas mais visitadas pelos brasileiros são Bogotá, Cartagena e San Andrés. Confira também a seguir um pouco mais sobre Medellín e Cali.

Bogotá e Cali: grandes e fervilhantes

Capital e a maior cidade da Colômbia, com aproximadamente 7,2 milhões de habitantes, Bogotá é típica metrópole. Serve de ponto de convergência de pessoas de todos os lugares, que se encantam pela mistura de suas construções modernas com outras que evocam seu passado colonial. A cultura é fervilhante e, por isso, a vida noturna é bem convidativa. Vide a Zona Rosa.

Inclua no roteiro um passeio a pé pelo bairro da Candelária, o centro histórico de Bogotá. Não deixe de visitar atrações, são quase 60 museus ao todo, como o Del Oro e Botero (de Fernando Botero, famoso pintor colombiano que apreciava formas volumosas), a Casa Moneda, além da Plaza de Bolívar, com a Catedral e o Capitólio (Congresso). Vá tirar fotos no Cerro Monserrate, ponto mais alto da cidade. O Mirador La Calera também dá boas imagens.

Já Cali, mais precisamente Santiago de Cali, fica no Vale do Cauca, entre a cordilheira ocidental e a cordilheira central dos Andes, nas margens do Rio Cauca. É conhecida como a Capital da Salsa, portanto, prepare-se para colocar os pés para ‘bailar’, especialmente no Parque del Perro. É lá onde ficam as baladas, bares e restaurantes de Cali.

Quem quiser conhecer o Centro não pode deixar de dar uma passadinha na Praça de Caicedo. Antes de voltar ao Brasil, considere ir também até a Igreja Ermita, símbolo da cidade (construída ente 1930 e 1948), a Catedral de São Pedro, o Teatro Municipal Enrique Buenaventura e o mirante Cristo Rei.

Medellín tem o estádio e ‘tour Escobar’

Palco da emocionante cerimônia em homenagem aos brasileiros mortos no acidente de avião, é impossível a partir de agora visitar Medellín e não dar uma olhadela, de leve, no Estádio Atanasio Girardot. Criado em 19 de março de 1953, tem capacidade para mais de 45 mil torcedores.

A cidade, capital do Estado de Antioquia, também é grande, mas fácil de ser explorada. Dispõe de serviços como o Metrô e o Metrocable (tipo de cabo aéreo, interligado ao Metrô). Em contrapartida à vista urbana, Medellín fica em um vale cercado por montanhas. Muita gente pratica esportes radicais pelos arredores.

O local é bem procurado por quem gosta de agitação. Anote aí e não deixe de visitar o bairro Poblado. Há rumores que revelam que o ator brasileiro Wagner Moura ficou lá quando gravou Narcos, série da Netflix, sobre Pablo Escobar.

Aliás, há um tour específico para quem deseja saber mais sobre a vida do narcotraficante, que inclui visita à fazenda Hacienda Napoles, à La Catedral, ao Edifício Monaco, à casa em que Escobar morreu, ao túmulo do figurão no cemitério Montesacro, entre outros pontos importantes da vida – e morte – do colombiano.

Durante o dia – reserve, ao menos quatro dias de turismo por lá – conheça tudo o que for relacionado a Fernando Botero (de novo). É que Medellín é a cidade natal do artista. Na Plaza Botero é irresistível fazer uma selfie com ao menos uma das obras gigantescas em bronze de Botero. Emende depois uma visita ao Museu de Antioquia. O Jardim Botânico (que tem entrada gratuita) é outro passeio imperdível.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados