Faces do casamento

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanessa Ratti

 O amor é o melhor e maior sentimento da vida, mas não o mais simples. Embora seja ele que una os casais, depois do casamento o ‘choque’ entre culturas e as realidades são os únicos fatores que podem ser maiores do que o sentimento. Alguns filmes retratam exatamente este cenário e têm como objetivo minimizar esses problemas. Mostram que o que importa são os laços e valores que criam por toda a vida. É o que traz o longa-metragem brasileiro O Amor no Divã, cuja estreia está marcada para quinta-feira.

Com uma pitada de comédia, a produção conta a história de Roberta (Fernanda Paes Leme) – que trabalha em escritório de estatística e é bem-sucedida – e Miguel (Paulo Vilhena) – um personal trainer acomodado. O casal vive crise no casamento e sofre com a rotina exaustiva entre trabalho e afazeres do dia a dia. Porém, ambos vêem o outro de forma egoísta e acreditam que a culpa está no parceiro. Neste momento, entra em cena Zezé Polessa, na pele da terapeuta de casais Malka, que tenta ajudar os dois. Porém, o que o casal jovem não sabe é que a própria psicóloga também sofre crise no casamento – que completa 30 anos – com o marido José (Daniel Dantas), recém-aposentado e que não tem mais tanto interesse na mulher.

A história parece um tanto quanto clichê, mas imita a vida, levando à reflexão de que ninguém está livre de desentendimentos quando se trata de casamento. O diferente do filme fica por conta do sarcasmo inteligente e bem pensado pelo diretor Alexandre Reinecke que, pela primeira vez, está dirigindo longas e é considerado o rei da comédia no teatro.

O mérito também está na atuação de Vilhena. Seu personagem Miguel interpreta o lado tranquilo da relação e ele, inclusive, consegue lidar com as diferenças transbordando bom humor. As risadas são garantidas. Outro ponto a ser destacado são os casais que contam os seus casos e o elenco repleto de bons nomes. São eles, Melissa Vettore – que representa casal homoafetivo –, Antônio Petrin, Sonia Guedes e Juliana Mesquita.

Porém, O Amor No Divã não tem muita diferença de outros tantos romances ‘águas com açúcar’ que já estrearam nas telonas no País, mas não deixa de ser boa alternativa para assistir, eu um fim de semana qualquer, ao lado do parceiro, pensar em reatar romances e fazer as pazes após uma briga boba. Afinal, o amor é o que importa, sempre.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados