Nada além da realidade

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanessa Soares Oliveira

 Diariamente os noticiários de todos os cantos do País veiculam informações sobre a dificuldade que a população enfrenta quando o assunto é Saúde pública. São meses de espera para realização de exames básicos, falta de médicos, especialistas, leitos, infraestrutura e por aí vai. Foi este descaso que deu origem a Sob Pressão, em cartaz nos cinemas da região.

Entre os atores ‘de peso’ escalados para o filme está o são-bernardense Ícaro Silva na pele do Dr. Paulo. “Meu personagem é desafiador em vários aspectos. É mais velho do que eu e trabalha em ambiente que não tem nada a ver com o que já fiz”, conta o ator. Completam o time o protagonista Júlio Andrade (Evandro), Stepan Nercessian (Samuel), Marjorie Estiano (Carolina), Andreia Beltrão (Ana Lúcia), entre outros. A obra, aliás, já chega às telonas premiada com os título de melhor ator para Andrade e melhor ator coadjuvante para Nercessian, conquistados no Festival do Rio.

A trama, inspirada no livro do médico carioca Marcio Maranhão, Sob Pressão – A Rotina de um Médico Brasileiro, mostra um dia tenso em hospital público no meio de uma comunidade. A equipe de plantão deve tomar decisão difícil quando três pacientes em estado grave precisam de socorro ao mesmo tempo. “A ideia não foi fazer um filme de denúncia, mas valorizar o médico que está ali, em um ‘front de guerra’, que trabalha numa rede de hospitais sucateados, onde se usam 1.000 ‘gambiarras’ para salvar vidas”, explica o diretor Andrucha Waddington (Eu, Tu, Eles, Casa de Areia e Os Penetras).

Realmente a impressão que se tem é que a obra – filmada no Rio de Janeiro, nas instalações de uma área desativada do hospital Santa Casa de Misericórdia, em Cascadura – não mostra nada além da realidade. Apesar de boa dose de ficção e de diversos clichês bem conhecidos dos fãs de séries médicas, o que se vê na tela tem um quê daquilo que se vê diariamente nos noticiários. O maior benefício de encarar uma história como essa nas telonas é refletir e não se conformar que esta é a realidade da Saúde brasileira. É praticamente impossível permanecer indiferente e o sentimento de revolta e indignação se afloram com o desfecho da trama.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados