Réveillon antes de morrer

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Marcela Munhoz

Se de um lado existem os turistas que fogem da muvuca, especialmente durante Natal e Ano-Novo, tem também os que escolhem, se planejam e investem para estar no melhor lugar da festa. De preferência perto de muita gente, do glamour e do espetáculo. Claro que para garantir um espaço entre os milhares na Times Square ou em Harbour Bridge é necessário pagar por isso.

Para se ter uma ideia, passagem de avião do Brasil a Nova York perto do Natal (de 22 a 27 de dezembro), com escala, não sai por menos de R$ 3.800. Para a Austrália, o valor sobe para R$ 6.300. Como sonho não tem preço, vale a pena, ao menos, colocar estes destinos na sua lista de desejos.

Nova York produz a mais emblemática festa de Ano-Novo do mundo. Milhões se reúnem na Times Square para testemunhar a bendita bola caindo do mais alto edifício do quarteirão durante a contagem regressiva para o próximo ano. Prepare-se, porém, para passar frio e ficar bem espremido no meio do povo. Sydney, por sua vez, tem a vantagem de comemorar o ano que chega antes do mundo todo (perde apenas para a Nova Zelândia). Por lá, a festa é na Harbour Bridge e, depois da 0h, nos milhares de bares e restaurantes na redondeza.

Em Londres (passagem a R$ 3.750, no mínimo), todos esperam para ver a queima de fogos na London Eye, momento anunciado pelas batidas do histórico e reverenciado Big Ben. O frio também é o anfitrião da festa londrina. Para ser vista de mais perto, é necessário chegar bem antes da hora para pegar lugar. Os casais têm a opção de viver o momento em passeio de barco pelo Rio Tâmisa. Outro destino da Europa que adora uma festa de Réveillon é Berlim (R$ 3.860). O exuberante Portão de Brandemburgo é o point da galera, que precisa pular muito para não congelar.

Curiosamente, Edimburgo, na Escócia (R$ 3.860), também é conhecida pelo Ano-Novo diferente – chamado por Hogmanay. Os escoceses costumam celebrar durante quatro dias, com várias atividades como procissão com velas, bailes e queima de fogos nos principais pontos da cidade. O Concerto nos Jardins, com grupos musicais famosos, é um dos eventos mais procurados.

E quem não planeja sair do Brasil tão cedo pode optar por ver a queima de fogos da praia de Copacabana (passagens a menos de R$ 200). Com certeza a festa não fica atrás de nenhuma das citadas acima. O duro é encontrar lugar para ficar. Na passagem do ano passado, foram 16 minutos de fogos para mais de 2 milhões de pessoas.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados