Traços para reflexão

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vinícius Castelli

 Em um mesmo bairro, diferentes histórias de pessoas simples se esbarram de forma sutil, quase que sem se encontrar. Entre elas, a pureza da imaginação de uma criança que, se não podada pelo pai, pode até livrar os adultos do fardo de se esquecerem quem são, de fato. O sobrenatural, também presente, é narrado por meio de uma mãe que precisava de paz, e é um dos ingredientes que dão vida aos quatro contos do novo livro dos ilustradores andreenses Fernandes, do Diário, e Gilmar. A obra da dupla, Entre Quatro Contos (Sesi–SP Editora, 96 páginas, R$ 35, em média), tem lançamento amanhã em Santo André, no Gambalaia Espaço de Artes e Convivência (Rua das Monções, 1.018), a partir das 17h. A entrada é gratuita.

Quatro Contos é recheado pelas histórias Retratos, Fresta, Melodia e Jazígo, todas interligadas de forma inteligente. Algumas delas já foram crônicas publicadas no Diário. Fernandes conta que tudo no livro tem alguma influência de algo que viveram, viram ou escutaram. “Quando se escreve uma história tem de passar algo, ir além. Quando fizemos o outro livro, Efeito Ferrugem, tratamos de problemas sociais”, diz o autor.

Na nova empreitada, entre as mensagens e alertas que passam, está a de que, quando crescemos, podemos perder a imaginação e a pureza das crianças. “Falamos da relação de pai e filho, de cuidado e benquerer”, explica Fernandes. Para ele, é importante pensar antes de tomar uma atitude com uma criança. “É entender o mundo deles”, diz. O livro se funde entre traços mais realistas e outros na escola cartoon. Os artistas explicam que fizeram questão de não ter um estilo só na obra. E tudo foi preparado à moda antiga, no papel, para só depois ser finalizado digitalmente. 

O trabalho foi contemplado pelo ProAc (Programa de Ação Cultural) do governo do Estado de São Paulo. Em contrapartida, os artistas fizeram palestras e oficinas em entidades que têm pouco acesso à cultura. “Descobrimos crianças, verdadeiros diamantes brutos para serem lapidados na área das artes gráficas, demos uma sementinha e isso nos deixou muito felizes”, diz Gilmar.

MAIS AINDA
Amanhã, no mesmo local e horário, aproveitam também para lançar suas obras o poeta da região Hélio Neri, que mostra Anestesia, e Alessandro Bortoleto Rodrigues, que apresenta ao público O Terror Depois de Tudo. O espaço terá ainda homenagem ao poeta andreense Zhô Bertholini, por seus 40 anos de carreira, e a comemoração do projeto Terças Autorais, encontro mensal de escritores, compositores e artistas, que completa uma década de caminhada.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados