Ballet Stagium faz apresentação no Sesc inspirada em Ary Barroso

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Miriam Gimenes

 Ary Barroso (1903-1964) amava o Brasil, o Brasil brasileiro. E inspirado neste compositor ilustre, autor de Aquarela do Brasil, que o Ballet Stagium apresenta amanhã e sábado, no Sesc Santo André, a partir das 20h, o espetáculo O Canto da Minha Terra, que tem a coreografia assinada por Décio Otero e direção teatral de Márika Gidali.

Eles se lançaram na tarefa de desbravar, por meio da dança, o universo poético e sonoro de Ary Barroso. Para tanto, trazem músicos, coreógrafos, além de Celia e Celma, cantoras da cidade mineira de Ubá, propondo mergulho na constituição da identidade brasileira. “O Décio é de Ubá, vieram duas cantoras de lá, o Ary Barroso é de Ubá. Juntando todos os ubaenses deu no que tinha que dar, a coisa deslanchou”, brinca Márika. Segundo ela, no repertório do espetáculo estão as músicas mais conhecidas dele, “Vai de Rancho Fundo até s Quindins de Iá Iá”, completa.

Esta produção também marca os 45 anos da companhia, buscando sempre estética própria e linguagem que propõe refletir sobre o Brasil e sua complexidade social, histórica e cultural. “Comemoramos esse aniversário no último dia 23 e estamos caminhando muito bem com nossas apresentações”, comemora Márika.

E, nos mais de 70 espetáculos apresentados ao longo de mais de quatro décadas, os bailarinos – que já dançaram até em penitenciárias – homenagearam outros compositores brasileiros como Tom Jobim, Chico Buarque, Luiz Gonzaga e Adoniran Barbosa.

>O Canto da Minha Terra – Dança. Sesc Santo André – Rua Tamarutaca, 302. Amanhã e sábado, às 20h. Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 10 (aposentado e estudante)e R$ 6 (credenciados no Sesc e dependentes). Estão à venda na bilheteria da unidade ou no site www.sescsp.org.br.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados