Trocando socos e voadoras no Nordeste

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vanessa Ratti

Quem acha que artes marciais não combinam com o Nordeste não conhece o diretor Halder Gomes. Depois de Cine Holliúdy (2013), ele lança o filme O Shaolin do Sertão, que estreia amanhã em todo o Brasil, inclusive na região – exceto no Ceará, onde foi lançado quarta-feira –, e revela uma das paixões do diretor: os golpes chineses.

O longa conta a história do padeiro Aluízio Li (Edmilson Filho), que é ‘metido’ a Bruce Lee e acredita ser o monge Shaolin. Ele busca intenso treinamento com um mestre fajuto, vivido pelo cantor Falcão. Tudo para honrar sua cidade, Quixadá, no Ceará, e enfrentar o valente Toni Tora Pleura (papel do atleta de taekwondo Fábio Goulart).
A parceria entre Halder Gomes e Edmilson Filho segue firme, assim como em Cine Holliúdy – é a terceira vez que trabalham juntos. O ator também ajudou a escrever o roteiro desta vez e a montar as coreografias. A linguagem permanece com a originalidade nordestina e várias gírias locais, que poucos espectadores fora do Nordeste conseguem compreender. Mesmo assim, não é preciso utilizar legendas como no filme anterior. “São menos personagens, por isso o discurso é mais limpo. O tema ajuda também porque é universal”, diz Gomes.

O Shaolin do Sertão utiliza mais recursos gráficos, como câmera lenta e montagem. “Não teve dublê e, como sou mestre em taekwondo, decidi montar os golpes sozinho”, revela Filho.
O elenco é formado por atores que têm relação com o Nordeste ou apaixonados por artes marciais. Marcos Veras, que faz o antagonista da trama, Armandinho, é filho de nordestinos, porém nascido no Rio de Janeiro. “Me remete à infância, mas tinha esquecido dos sotaques. Só de pisar lá peguei muito fácil, está no sangue”, conta ele. Falcão também lembrou de quando era criança, mas por conta do tema. “Convivi com filmes de kung fu e as pessoas saíam para brigar na rua. Era engraçado”, diz o cantor.

BILHETERIA

O filme estreou com exclusividade no Ceará em 27 salas e teve 45 mil ingressos vendidos para seu primeiro dia em cartaz, o dobro da estreia de Cine Holliúdy. O Shaolin do Sertão é boa opção para ver belos cenários nordestinos e dar risadas. 




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados