Nascida para ser diva

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Marcela Munhoz

Não importa a década, toda geração teve uma diva para chamar de sua. As que marcaram o pop internacional tiveram suas letras analisadas e praticamente dissecadas pelas ‘cabeças’ por trás de produção com estreia marcada para esta noite no Teatro Procópio Ferreira, em São Paulo. Divas, o Musical fica em cartaz até 13 de novembro e conta com texto de Anna Toledo.

Mais do que fazer homenagem a grandes cantoras – Celine Dion, Madonna, Mariah Carey, Beyonce, Rihanna, Britney Spears, Christina Aguilera e, claro, Whitney Houston, para citar algumas –, a ideia da montagem sempre foi contar a história de amizade entre as integrantes de uma girlband por meio das composições. “O enfoque principal são as letras. Nosso verdadeiro protagonista é o texto”, explica Thiago Gimenes, diretor musical e vocal, que teve o trabalho de costurar o enredo com os trechos mais marcantes de músicas que serão reconhecidas por fazerem parte do dia a dia das pessoas atualmente ou em alguma parte lá do passado.

O espetáculo, como deu para perceber, precisava de nomes que conseguissem dar conta de tantos agudos e tamanha afinação. Uma responsabilidade e tanto. Diante do pedido “incisivo” de nada menos do que o diretor Jarbas Homem de Mello, Luiza Possi, Jeniffer Nascimento e Nikki, de São Bernardo, toparam subir aos palcos. Elas interpretam Sofia, Cecília e Mariah, respectivamente, que sonham viver de música, formam banda e acabam se encontrando anos depois em reality show (o público, inclusive, é quem vota na vencedora pelo site www.queroserpop.com.br). “Precisava de três atrizes cantoras com vozes de divas. Fui pela qualidade vocal e disponibilidade. Pensando nisso, também convoquei Leilah Moreno”, explica Homem de Mello.

Jeniffer e Nikki já passaram na vida real por experiência de integrar uma banda de mulheres (Jeniffer fez parte da Girls) e de participar de reality musical (Nikki foi para a final do The Voice 2015). “Acessei o cartão de memória e senti um pouco daquela emoção novamente. Sem a parte da angústia, de desmaiar de nervoso a cada apresentação. Aliás, agora olho para trás e penso como consegui passar por tudo aquilo”, relembra. A cantora se identifica com sua personagem no desejo de viver da música, algo que Nikki busca desde a infância e adolescência. “Graças a Deus hoje estou aqui, interpretando minhas divas (ela cita Mariah, Beyonce, Aretha Franklin, Whitney) e quero muito continuar fazendo isso, fazendo música.”

>Divas – Musical. No Teatro Procópio Ferreira – Rua Augusta, 2.823. São Paulo. Às quintas (21h), sextas (21h), sábados (18h e 21h30) e domingos (17h) até 13 de novembro. Ingr.: R$ 50 e R$ 150 (www.ingressorapido.com.br).




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados