Amor, a lei universal

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Miriam Gimenes

 “Que pode uma criatura senão, entre criaturas, amar?” Esse sentimento dita as regras da poesia de Carlos Drummond de Andrade na história da humanidade e em trama que estreia hoje na Rede Globo. O folhetim não poderia ter outro nome: A Lei do Amor. De autoria de Maria Adelaide Amaral, Vincent Villari e direção de Denise Saraceni, a novela quer mostrar – com muita emoção – a afeição e todas as suas nuances.

“Mais importante do que o tema. É a forma de apresentá-lo. Cada autor tem seu modo de narrar. Em A Lei do Amor, a trama, o texto, o suspense e, acima de tudo, os personagens, terão a nossa assinatura e serão os nossos trunfos. Mas esperamos ardentemente emocionar os telespectadores”, diz Maria Adelaide ao Diário.

A começar pelo casal Helô (Isabelle Drummond/Claudia Abreu) e Pedro (Chay Suede/Reynaldo Gianecchini), que é a personificação romântica deste sentimento. Os dois se conhecem nos idos de 1995, em um momento muito difícil na vida da jovem. É que sua mãe, Cândida (Denise Fraga), tem leucemia em estágio avançado e o pai, Jorge (Daniel Ribeiro), sofre de alcoolismo e acaba de ser demitido pelo pai de Pedro, Fausto (Tarcísio Meira). Mas ninguém manda no coração, Helô e Pedro acabam se apaixonando.

E assim nasce a história. Magnólia (Vera Holtz), matriarca da família Leitão, faz uma tramoia para separar os dois e consegue. Passados 20 anos eles se reencontram e percebem que o que existiu no passado ainda permanece forte e verdadeiro. “A Helô é uma mulher que mantém sua simplicidade mesmo após se casar com um grande empresário (Tião, vivido por José Mayer). Ela não busca uma vida de luxo e jamais esqueceu seu grande amor do passado. Quando eles se reencontram é inevitável que essa chama reacenda”, explica Vicente.

Só que agora Helô é casada e tem dois filhos. Letícia (Isabela Santonni), sua filha mais velha, tem a saúde frágil e acaba de terminar um tratamento contra a leucemia, a mesma doença que sua mãe, Cândida, enfrentou. E Tião usa essa situação para chantageá-la.

POLÍTICA

A política é o pano de fundo da novela, o que fez o folhetim ter sido adiado dos planos da emissora – era para ter entrado no lugar de Velho Chico –, por conta das eleições municipais. Tudo começa quando Fausto Leitão resolve se candidatar mais uma vez à prefeitura de São Dimas. “A partir daí a política entra na trama, mas serve apenas para conduzir os personagens para os fins que queremos. O mais importante são as relações humanas”, acrescenta Vicente. A novela falará sobre escândalos de corrupção, delação premiada e prisões de políticos pela Operação Bom Ladrão. A trama promete. Também estão no elenco Thiago Lacerda, Camila Morgado, Regina Duarte, Claudia Raia, Regiane Alves, Ana Rosa, Heloísa Perissé, entre outros.

SBT

A emissora de Silvios Santos estreia também hoje, mas às 17h15, a novela Lágrimas de Amor. Originalmente exibida no México entre 2012 e 2013, é protagonizada por Victoria Ruffo, que interpreta Regina, uma mulher amável, mas que é abandonada com seus três filhos e luta, sozinha, para enfrentar os desafios da vida.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados