Pixinguinha e seu legado

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vinicius Castelli

Impossível se deparar com a história da música brasileira e não se emocionar com a obra de Pixinguinha. A trajetória musical do compositor, instrumentista, arranjador e maestro carioca remonta ao início do século passado. Autor de sambas, valsas e choros, entre outras linguagens, Pixinguinha assinou canções como Carinhoso, cuja letra foi criada por João de Barros, o Braguinha. Nascido em 23 de abril de 1897, compôs também com Vinicius de Moraes e tocou ao lado de Baden Powell e João da Baiana.
Um pouco dessa história pode ser conferido no espetáculo Concerto para Pixinguinha, com a cantora Vânia Bastos e o contrabaixista Marcos Paiva, que aproveitam para lançar disco de mesmo nome (Selo Conexão Musical, R$ 25, em média) no teatro do Sesc Santo André (Rua Tamarutaca, 302. Tel.: 4469-1200) hoje, às 20h. As entradas custam de R$ 9 a R$ 30 e podem ser compradas nas bilheterias das unidades e pelo site www.sescsp.org.br.
O projeto de Vânia e Paiva começou com a sugestão de homenagear o artista na data dos 40 anos de sua morte, em 2013. No palco, o projeto foi amadurecendo e, ao longo dos shows, os músicos perceberam a força que o trabalho tinha. “Isso nos fez enxergar mais ainda o quanto Pixinguinha é querido, amado, respeitado. Sentimos o calor do público em todos os lugares. E nos amadureceu para chegarmos ao disco”, conta Vânia, ao Diário.
Ilustrado por 13 temas, o álbum foi gravado praticamente ao vivo dentro do estúdio, em três dias. Com produção musical do contrabaixista e direção artística de Fran Carlo, Concerto para Pixinguinha é refinado, elegante e cheio de vida.
Entre temas cantados e instrumentais, o disco conta com músicas como Isso é que é Viver, Fala Baixinho, Lamentos, Cochichando e Samba de Fato. Vânia conta que esse mergulho na obra de Pixinguinha foi delicioso desafio. “A gente não para de descobrir coisas lindas que ele criou”, diz.
Com clima orgânico e arranjos que contam com saxofone, vibrafone e clarinete, entre outros instrumentos, o álbum apresenta ricas harmonias e agradáveis surpresas em músicas como Rosa e Carinhoso.
No show, os artistas apresentarão todas as canções do disco, além de uma surpresa, segundo Vânia. Para acompanhá-los na empreitada, sobem ao palco Nelton Essi (vibrafone), César Roversi (sax e flauta) e Jônatas Sansão (bateria). 




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados