Arte pulsante de Portinari

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Vinícius Castelli

Um olhar como o que poucos tiveram acerca do universo de personagens populares. Mesmo 54 anos após a morte do artista plástico Candido Portinari, sua visão e herança seguem fortes. Uma lente sob um punhado das obras dele, que é considerado até hoje um dos nomes de maior relevância no cenário artístico, é o que promove o Masp (Museu de Arte de São Paulo).

A mostra Portinari Popular toma conta do segundo subsolo do museu e segue em cartaz até 15 de novembro com cerca de 50 obras do paulista nascido em Brodowski. Os ingressos custam R$ 12 e R$ 25 e podem ser compradas nas bilheterias do local. Às terças-feiras a entrada é gratuita.

Com curadoria e direção artística de Adriano Pedrosa, que trabalhou ao lado de Rodrigo Moura (curador adjunto de arte brasileira) e Camila Bechelany (curadora assistente), a mostra apresenta obras com conteúdos sociais, como manifestações políticas, representações de tradições culturais brasileiras e, é claro, a vida do trabalhador.

Além de ter recorrido ao próprio acervo, que soma hoje 18 peças do artista, a exposição conta ainda com peças de instituições públicas e coleções particulares. Entre os destaques a serem vistos constam obras como Retirantes, uma das mais conhecidas do artista, que data de 1944. É atual como sempre, além de chocante.

A peça O Lavrador de Café é outra que tem de ser citada e leva o autor para perto do expressionismo. A tela foi furtada do museu em dezembro de 2007. Na ocasião, os ladrões também levaram O Retrato de Suzanne Bloch, de Pablo Picasso. Ambas foram recuperadas. A mostra reconstitui um projeto expográfico assinado por Lina Bo Bardi (1914-1992), e criado especialmente para a exposição do Masp feita em 1970, dedicada ao artista.

Quem quiser pode ver também – com o mesmo ingresso – A Mão do Povo Brasileiro, que dialoga com as obras de Portinari. A exposição reencena mostra de mesmo nome, curada por Lina Bo Bardi em 1968. São cerca de 1.000 objetos, entre carrancas, tecidos, roupas, móveis, ferramentas e utensílios.

> Portinari Popular – Exposição. No Masp – Avenida Paulista, 1.578, em São Paulo. Tel.: 3149-5959. Até 15 de novembro. Terça a domingo, das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30); quinta-feira, das 10h às 20h (bilheteria até 19h30). Ingr.: R$ 12 a R$ 25. Às terças a entrada é gratuita. www.masp.org.br.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados