A sorte está lançada

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Miriam Gimenes <br> Do Diário do Grande ABC

O roubo da Taça Jules Rimet mexeu com o brio dos brasileiros. Conquistada após três títulos da Copa do Mundo de Futebol, ela foi ‘retirada’ da sede da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) em 19 de dezembro de 1983 e, em seguida, vendida para um ourives. O problema é que ele era argentino e derreteu o mais importante símbolo da modalidade à época.

E foi em cima deste incidente trágico que foi escrito o roteiro de O Roubo da Taça, de Caíto Ortiz, que estreia quinta-feira nos cinemas e está na lista divulgada ontem dos 16 filmes brasileiros que disputam uma indicação ao Oscar 2017. No elenco estão Taís Araújo, Milhem Cortaz, Mr. Catra, Stepan Nercessian, Paulo Tiefenthaler, entre outros.

A comédia gira em torno de Peralta (Tiefenthaler), um corretor de seguros que tem a ideia absurda de invadir a CBF e roubar a réplica do tesouro nacional para pagar uma dívida de jogo. Sem saber, acaba levando a taça original, dando início à série de confusões. Ele era casado com Dolores (Taís), que o ajuda a ‘dar um fim’ neste enrosco.

O fato histórico em si chama a atenção do espectador, até para quem era criança ou nem nascido à época. A atuação de Paulo também é espetacular (tanto que ele acaba de ganhar o prêmio de melhor ator no Festival de Cinema de Gramado pela atuação). Para compor o personagem, disse que se inspirou na sua vivência no Rio, cidade onde foi criado. “O carioca ficou tão malandro que dá a volta nele mesmo. Lá no Rio está cheio de Peraltas.” Paulo fez sucesso na TV com o programa culinário Larica Total, atuou em filmes e séries como Trinta, da Fox, e Suburbia, da Globo,

Taís também convence no papel de ‘malandra’. “É engraçado recontar essa história, pois minha geração sabe do roubo, mas não tem ideia dos detalhes. Foram tantas trapalhadas que não dá para acreditar, então claro que essa história tinha que virar um filme. É muito brasileira, muito carioca, e é engraçada, tem mesmo a cara do Brasil, do que a gente tem de pior”, diz a atriz.

OS SELECIONADOS

A condução de O Roubo da Taça, no entanto, não tem nada de especial e faz com que o filme passe longe de ser o favorito a representar o Brasil em Los Angeles ano que vem. Aquarius, por outro lado, alcançou bom números no primeiro fim de semana: levou 55 mil aos cinemas, atingindo a marca de segunda melhor estreia do ano, atrás de Os Dez Mandamentos. Confira os demais concorrentes. O escolhido será conhecido no dia 12.  




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados