Adriana Farias ao som da moda de viola

Envie para um(a) amigo(a) Imprimir Comentar A- A A+

Compartilhe:

Yasmin Assagra<br>Especial para o Diário

 Os cordões da viola acompanham bagagem de lembranças das raízes do campo. Foi trazendo singela homenagem aos tempos passados que Adriana Farias lança o álbum Beleza Rústica (Substancial Music, R$ 25,90, em média). Mesmo assinando diversos trabalhos em outras bandas e de ter produzido seu primeiro disco aos 11 anos,Beleza Rústica superou as expectativas da cantora. “Comecei muito cedo, mas este trabalho é único. O coração sempre foi sertanejo e, com a música, encontrei minha vertente no formato da cultura caipira”, conta a artista ao Diário.
Foi pensando em mostrar a grande ligação com sua origem que Adriana preparou dez músicas em seu novo CD, sendo oito inéditas, incluindo Pagodão Bruto, Canto e Danço Catira e Águas da Serra, esta última sobre elo entre a cidade e o campo. “A canção não fala de amor. Tem o propósito de detalhar os dois ambientes, além da passagem do tempo e destino. Todas as músicas têm um toque da minha vida”, explica.
O tom autobiográfico marca o álbum de Adriana. Ela faz questão de cantar, em formato caipira, a trajetória que a conduziu até hoje. “No meu show faço homenagem às mulheres de um jeito muito pessoal, igual ao meu disco”, conta a sertaneja.
A inspiração de Adriana para compor e cantar vem de nomes respeitados no meio sertanejo – e grandes ídolos – como Leandro e Leonardo e Almir Sater, que impulsionaram sua enorme gratidão pela viola caipira. E o Grande ABC faz parte dos planos para a apresentação do novo trabalho. A artista já se apresentou em São Bernardo e pretende retornar à região “O Grande ABC é quase minha casa, está em meu coração. Tenho todas as intenções em voltar, e logo”, finaliza.




Diário do Grande ABC. Copyright © 1991- 2017. Todos os direitos reservados